SISTEMA HETERONORMATIVO E SUA RELAÇÃO COM A VIVÊNCIA HOMOAFETIVA: VISIBILIZANDO PERCEPÇÕES DO CAMPO PSI

Diogo França Machado

Resumo


A percepção da homoafetividade vem se modificando no decorrer da história, passando pelos discursos higienistas, biologizantes, jurídicos e todas as outras formas de saber/poder que Foucault traz em seus escritos. Através do discurso de Judith Butler compreendemos o conceito de heteronormatividade compulsória, onde a heterossexualidade é naturalizada, tornando outras identidades de gênero impossíveis de serem vividas, sendo que tal conceito ajuda a discutir a desconstrução do gênero pré-estabelecido. Utilizou-se também Guacira Lopes Louro que vem de encontro aos estudos queer e a uma desconstrução dos currículos acadêmicos arcaicos, não abarcando disciplinas de sexualidade e gênero. Dessa forma, esse estudo teve como objetivo compreender a percepção de estudantes de Psicologia da região serrana de Santa Catarina em fase inicial e de conclusão de curso, em relação à vivência homoafetiva na atualidade. Teve caráter quali-quantitativo, e se deu com aplicação de questionário estruturado com 40 acadêmicos. Contudo, buscou-se a partir desse estudo dar uma maior visibilidade aos estudos queer, e às concepções que acadêmicos de Psicologia possuem em torno da vivência homoafetiva. Como resultados, destaca-se que não houve uma grande disparidade nos resultados obtidos entre ambos os grupos. Isso evidencia que a homoafetividade, a exemplo de outros estudos, vem sendo melhor compreendida por esta nova geração de jovens/adultos de meia idade que adentram no campo psi. Contudo, ainda existe um baixo percentual, daqueles que se mostram imersos as representações sociais de homoafetividade mais pejorativos, devido ao forte poder de instituições como a igreja, família heterossexual, escola, e a mídia. Porém, um alto percentil negativo desvelou-se em ambos os grupos, quando questionados o quanto sua família (seus pais) seria favorável a ter um filho homoafetivo. Foi possível se perceber assim, a importância da implementação nos diversos cursos de formação profissional seja na área das ciências humanas, sociais, da saúde ou jurídicas, cursos de extensão, disciplinas optativas em sua grade curricular, ou mesmo eventos científicos que inseriram nestes espaços, a temática “gênero e sexualidadeâ€, haja vista, que muitos dos participantes mostraram não possuir uma opinião formada acerca de algumas questões. Ademais, tais enfoques podem dar maior visibilidade à diversidade sexual, e auxiliar as pessoas a compreender que a sexualidade trata-se de um aspecto fundamental da constituição do ser humano.

Palavras-chave


Psicologia; Homoafetividade; Identidade de Gênero



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC