A IMPORTÂNCIA DE INSERIR O LÚDICO NAS AULAS DE LÃNGUA INGLESA

Camila Rubira Melo, Clarice Silva Kuntz, Dyulia Grazielle Moraes

Resumo


Ao observar as aulas, percebeu-se a falta de interesse dos alunos em relação à Língua Inglesa, assim questiona-se: Desenvolver as aulas através de atividades lúdicas não seria uma alternativa para despertar o gosto pela Língua Inglesa? O lúdico não seria uma estratégia facilitadora para o ensino-aprendizagem da Língua Inglesa? A utilização de jogos e atividades recreativas provocariam mudanças na vida escolar e também social desses educandos? As atividades lúdicas têm o poder sobre o aluno de facilitar o progresso de cada uma de suas funções psicológicas intelectuais e morais. Quando as situações lúdicas são intencionalmente criadas pelo professor, visando estimular a aprendizagem, revela-se então a dimensão educativa. Assim, o professor é o responsável pela melhoria da qualidade do processo de ensino/aprendizagem, cabendo a ele desenvolver as novas práticas didáticas que permitam aos discentes um maior aprendizado. Percebe-se então, como é importante o ludismo no contexto escolar, visto que, este proporciona uma maior interação entre o estudante e o aprendizado, fazendo com que os conteúdos fiquem mais fáceis e atraentes aos olhos dos alunos, os quais ficam mais interessados em assistir as aulas. Se o professor usar novas estratégias para o ensino de língua estrangeira, inserindo atividades lúdicas no processo de ensino aprendizagem facilitará o processo tanto para si quanto para os alunos. Tendo em vista um assunto tão importante, escolheu-se este tema para mostrar que com a motivação certa e a utilização do lúdico, o processo de ensino-aprendizagem pode se tornar mais fácil e prazeroso. Investigou-se de que maneira a inserção das atividades lúdicas poderiam auxiliar na aprendizagem da Língua Inglesa para os estudantes do 7º ano do Ensino Fundamental de uma escola da rede municipal de Lages/ SC. Observou-se desenvolvimento das aulas através de atividades lúdicas proporcionando melhorias no aprendizado da Língua Inglesa. Investigamos qual a motivação que o aluno recebe para o estudo de Língua Inglesa e se é agregado ao uso do lúdico no ensino-aprendizagem. Analisamos os resultados obtidos, para detectar qual a motivação que os alunos necessitam e que diferença o lúdico traz para a aprendizagem. Tratou-se de uma pesquisa ação, de campo, qualiquantitativa, de cunho descritivo. Foram feitas pesquisas com uma turma do 7º ano do Ensino Fundamental de uma escola da rede pública de Lages/SC. O instrumento de coleta de dados foram questionários e observação de alunos e professores. Foram aplicadas também diversas atividades lúdicas e métodos de motivação para o ensino de língua estrangeira. Nos questionários, observou-se que a interação entre alunos é imprescindível na construção do conhecimento, diante disso, confirma-se que a interação é também responsável pelo desenvolvimento do indivíduo. Nesse caso, há uma interação constante e contínua entre os processos internos e as influências do mundo social que o indivíduo interpretará/entenderá à sua própria maneira. Dessa forma, a interação na sala de aula contribuirá muito no processo de aprendizagem. Com relação à interação, observou-se que mesmo a maioria dos sujeitos expressando no questionário que se relaciona bem com os colegas, durante a observação ficou constatada uma realidade diferente da expressa,que a turma não se integra, que eles se relacionam bem com alguns colegas e não com todos. Isso levanta a hipótese de que se nesse sétimo ano, a interação fosse realmente eficaz o processo de aprendizagem de língua estrangeira seria melhor. Outro objetivo, também era analisar se há por parte dos estudantes a motivação direta. A motivação é uma força interior propulsora, de importância decisiva no desenvolvimento do ser humano. Assim como na aprendizagem em geral, o ato de se aprender línguas é ativo e não passivo. Não se trata de se submeter a um tratamento, mas sim de construir uma habilidade. Não é o professor que ensina nem o método que funciona; é o aluno que aprende. Por isso, a motivação do aprendiz no aprendizado de línguas é um elemento-chave. A grande maioria expressa o desejo em ser fluente em inglês e atribui a isso a facilidade de se inserir no mercado de trabalho com uma segunda língua, nesse caso o inglês, observou-se aqui, que a motivação expressa por eles é a indireta. Motivação indireta ou instrumental é aquela que impulsiona em direção a um objetivo intermediário, por exemplo, aprender inglês, que, por sua vez, possibilitará a satisfação de uma necessidade maior. Esta é provavelmente a forma mais frequente de motivação no aprendizado de línguas. Os 13% por cento restantes dizem não quererem ser fluentes pela dificuldade de compreensão afirmando que a língua em questão é muito difícil, o que pode ser visto como desmotivação. Refletindo sobre isso e pensando nos dias de hoje, vê-se uma importância da inserção de jogos e do lúdico para tornar os alunos mais criativos e motivados. A grande maioria dos estudantes que participou da realização do questionário é ciente que se pode aprender através da brincadeira e realmente acha mais fácil aprender e revisar os conteúdos através das brincadeiras, porém, um baixo percentual pensa que a brincadeira não facilita seu aprendizado mesmo gostando das aulas que contemplam a recreação.

Palavras-chave


Lúdico; recreação; motivação



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC