O EXERCÃCIO DA SEXUALIDADE POR DETENTOS EM DUAS INSTITUIÇÕES PENAIS DO PLANALTO SERRANO

Paulo Henrique Exttrechotter Weiss, Geison William Ezequiel, Priscila Schneider

Resumo


O presídio pode ser definido como uma instituição total, um lugar onde um grupo de pessoas é condicionado por outras pessoas, sem terem possibilidade de escolher seu modo de viver, podendo ter os espaços de privacidade e intimidade restritos. Este é um trabalho de iniciação científica, com apoio financeiro do FUMDES, que teve por objetivo caracterizar as manifestações da sexualidade em uma casa de detenção no estado de Santa Catarina. A amostragem será por acessibilidade, e a obtenção de dados está sendo realizada com entrevistas semiestruturadas individuais, analisadas conforme a técnica de Análise de Conteúdo. Foram realizadas aproximadamente 18 entrevistas, sendo que destas, nove foram com detentos da ala masculina de uma instituição penal, e nove entrevistas com detentas da ala feminina de outra instituição penal, as entrevistas se deram em duas instituições diferentes pelo fato de a primeira instituição ter apresentado restrições a continuidade da pesquisa. Em uma pré-análise das entrevistas realizadas, estas apresentaram como principais resultados da ala feminina: dificuldade de relacionamento, falta de espaço para intimidade e de atividades que promovam a ressocialização. Quanto ao que ao que apresentaram os detentos da ala masculina, estão relacionadas questões como: a privação da visita íntima, a dificuldade dos procedimentos carcerários de segurança e a falta de atividades ressocializadoras, ambos os resultados demonstram alguns aspectos negativos do aprisionamento em relação à vivencia da sexualidade pelo sujeito aprisionado.

Palavras-chave


Sexualidade; confinamento; detenção



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC