ENTRE A INVISIBILIDADE E A VISIBILIDADE POLÃTICA: MULHERES EM MOVIMENTO

Aidamar Seminotti Hoffer

Resumo


Este artigo é um recorte de uma pesquisa de mestrado em andamento, que pretende contribuir para uma análise sobre a trajetória da mulher nos cargos eletivos no legislativo com dados de eleições no município de Lages/SC. O ponto de partida é a percepção de que as mulheres, de modo geral, estão fazendo um percurso que vai da invisibilidade social e política ao protagonismo feminista em diferentes campos da sociedade, com ênfase no mundo da política, seja ele vivenciado tanto nos sistemas de democracia representativa como na democracia participativa. É uma história que não pára, que é fluída, mutável, processual e relacional. Para visualizar essa história, porém, é necessário estar muito atento/a, já que há algumas dificuldades consideráveis, dentre elas, a “invisibilidade†das mulheres. Elas eram pouco vistas em muitas sociedades, destacavam-se apenas no espaço de seus lares. Delas pouco se falava e pouco se registrava. Dessa maneira, as mulheres não deixaram muitas pistas sobre sua caminhada histórica. O objetivo desse estudo é discutir algumas temáticas relacionadas à questão da participação da mulher na política, pois, a invisibilidade se expressa pela ausência da mulher nos estudos teóricos predominantes nas ações políticas e nos espaços públicos exclusivamente masculinos. Há uma preocupação dos historiadores de mostrar as relações entre homens e mulheres e a não inserção da mulher na vida pública, especificamente na política. A história fala pouco de mulheres enquanto sujeito historicamente construídos, pode-se dizer que são seres invisíveis, ausentes nos espaços de decisões, alentando a hegemonia do masculino eivada de preconceitos de que as mesmas não nasceram para a participação efetiva no poder, apesar delas não permanecerem omissas ou inertes ao longo dos tempos, a participação feminina é imperceptível e serviu a determinados interesses sustentando os organismos do poder inalterados. A participação feminina na esfera pública mais especificamente no poder político, embora conceba, de forma geral, emancipação e autonomia, quando vista na sua essência, apresenta outros elementos explicativos da condição feminina, a exemplo das desigualdades de gênero e desigualdades sociais. A metodologia utilizada é a abordagem qualitativa que é importante na identificação conceitual de valores encontrados e para estudar questões difíceis de quantificar, como sentimentos, atitudes individuais, dentre outros. Por ser um trabalho em andamento não se tem ainda dados conclusivos. Trata-se de um processo de busca de referenciais teóricos que permitem uma aproximação ao objeto de pesquisa: a participação feminina no poder legislativo de Lages, SC.

Palavras-chave


Gênero; política; poder



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC