PREVALÊNCIA DE BETA–LACTAMASE DE ESPECTRO EXTENDIDO (ESBL) EM KLEBISIELLA PNEUMONIAE PRESENTE EM CULTURAS DE UM LABORATÓRIO DE ANÃLISES CLÃNICAS EM LAGES/SC, BRASIL

Caroline Godinho Wolff, Cecília da Luz Koerich Machado, Vinicius Rodrigues da Silva, Yalin Brizola Yared

Resumo


Indivíduos que permanecem muito tempo em hospitais e estão suscetíveis a infecções, acabam por adquirir a Klebsiella pneumoniae produtora de ESBL (Beta Lactamase de Espectro Extentido) e desenvolvem um quadro infeccioso grave, podendo este ser cutâneo, urinário e até respiratório. O trabalho possui objetivo de pesquisar a existência da produção de Beta-lactamase de Espectro Extendido (ESBL) em Klebsiella pneumoniaeem amostras biológicas em um laboratório de análises clínicas do Município de Lages/SC, Brasil. A metodologia utilizada será de disco-difusão de Kirby-Bauer, com um inóculo de 0,5 na escala de Mac Farland, onde realiza-se a semeadura por espalhamento com swab. Após 15 minutos em repouso, inicia-se a colocação dos discos impregnados de antibióticos, com distância de 20mm. Para a pesquisa de ESBL, utiliza-se amoxacilina-clavulanato (20/10µg) e outros quatro discos de antimicrobianos marcadores: ceftazidima (30µg), cefotaxima (30µg), cefoxitima (30µg) e aztreonam (30µg) a uma distância de 20mm do disco central. Os resultados serão de analisar os tipos de ESBL com base nas resistências verificadas, e quantificar as amostras positivas. A conclusão é de se obter um perfil ESBL em Lages, e mostrar à população os riscos a que os pacientes estão expostos diariamente frente à conduta médica incorreta, tanto na área hospitalar quanto ambulatorial.

Palavras-chave


ESBL, Klebsiella Pneumoniae



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC