ANÁLISE DE GENOTOXICIDADE EM PEIXES NOS RIOS DO SISTEMA AQUÍFERO GUARANI

Mariah Gois Ceregatti, Marina Biolchi, Laí­s Muniz Arruda Pereira, Manuela da Silva Casa, André de Oliveira, Luí­s Henrique Cereza Abido, Mônica Cristina da Silva Moreira, Diana Liposki, Carla Ivane Ganz Vogel

Resumo


Durante as últimas décadas, tem aumentado o interesse da população, principalmente da comunidade científica e agências regulatórias em relação ao conhecimento, controle e detecção dos agentes ambientais responsáveis por danos à saúde humana, à sustentabilidade dos ecossistemas e à utilização inadequada dos recursos naturais. Muitos biomarcadores têm sido utilizados na detecção de exposição e efeitos da poluição genotóxica. Os peixes são considerados ótimos bioindicadores, pois, possuem uma alta capacidade de responder a tóxicos. Os eritrócitos de sangue periférico de peixes são muito comumente usados para a aplicação do Ensaio Cometa em conjunto com o Teste do Micronúcleo (MN), como bioindicadores para avaliação ambiental de contaminação genotoxicológica. Este estudo teve como objetivos: analisar a frequência de danos ao DNA em peixes nos afluentes do Rio Canoas pela técnica de Micronúcleo; analisar o nível de danos ao DNA em peixes nos afluentes do Rio Canoas pelo Ensaio Cometa. Serão utilizados peixes popularmente conhecidos como jundia (Rhamdia quelen). Os exemplares serão oriundos do laboratório de Psicultura do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV). Os peixes serão acondicionados em tanques contendo água dos locais de coleta selecionados durante dez dias. Após esse período, os peixes serão anestesiados e será coletado sangue da artéria caudal. O sangue será utilizado para os testes do micronúcleo e ensaio cometa. Aproximadamente 25 peixes em cada ponto serão analisados. No mínimo dois locais de coleta de água serão estabelecidos: um deles na região urbana de Lages, onde o Rio Carahá encontra o Rio Caveiras e o esgoto da cidade é depositado, e outro na região rural conhecida como Asa Verde, no Rio Caveiras. Outros locais de coleta poderão ser acrescentados. Como controles serão utilizados peixes mantidos em tanques no laboratório de Pscicultura do CAV. Espera-se que os peixes deixados em regiões onde há maior número de poluentes apresentem um grau maior de genotoxicidade. O presente projeto propõe um estudo inédito na região de Lages, envolvendo rios que compõem o Aquífero Guarani, que inclui a avaliação da qualidade da água, juntamente com indicadores de como e se a qualidade da água afeta a integridade molecular dos peixes (utilizando-se análises genotóxicas). Este projeto de pesquisa é um subprojeto do projeto Rede Guarani/Serra Geral (RGSG) financiado pela FAPESC e Agência Nacional de águas (ANA).

Palavras-chave


Aquí­fero Guarani; genotoxicidade; ensaio cometa; micronúcleo; biomarcadores



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC