Diferenciação entre derrame pleural exsudativo e transudativo

Caio Netto

Resumo


O derrame pleural ocorre quando há um acúmulo de líquido anormal no espaço pleural. Esse líquido se acumula quando sua produção é maior do que sua absorção. Em casos de derrame pleural, é importante que a causa do derrame seja esclarecida e para isso, deve-se classificar o derrame em transudato ou exsudato. No transudativo, os fatores sistêmicos que influenciam a produção e a absorção do líquido pleural estão alterados. Já o exsudativo acumula-se quando os fatores locais que regulam a formação e a absorção do líquido pleural estão alterados e as principais causas são: pneumonias bacterianas, neoplasias malignas, infecções virais e embolia pulmonar. Este trabalho tem como objetivo estudar como é feita a diferenciação entre derrame pleural transudativo e exsudativo. Realizou-se revisão bibliográfica em livros e artigos científicos totalizando 5 obras, e a partir desta revisão identificou-se quais são os principais critérios para diferenciação. Para diferenciar os derrames pleurais, são usados os níveis de desidrogenase láctica (LDH) e das proteínas no líquido pleural. O líquido é retirado para análise através da toracocentese. Durante esse processo é recomendado o uso de ultrassonografia para quantificar o líquido na cavidade pleural a fim de evitar complicações como pneumotórax ou sangramento, conforme presenciado durante as atividades na Unidade Educacional Eletivo. Após análise laboratorial do líquido, os critérios mais utilizados para diferenciação são os critérios de Light. De acordo com tais critérios, os derrames exsudativos preenchem ao menos um dos seguintes critérios enquanto os transudativos não se encaixam em nenhum deles: a) Relação entre as proteínas do líquido pleural/soro maior do que 0,5; b) Relação entre LDH do líquido pleural/soro maior do que 0,6; c) LDH do líquido pleural mais de dois terços acima do limite superior normal do soro. Após identificar qual o tipo do derrame, é possível realizar o tratamento de forma adequada. Observou-se que é importante classificar o derrame pleural em transudato ou exsudato, pois sem essa diferenciação o paciente não realizará o tratamento adequado. Por exemplo, caso o paciente seja diagnosticado erroneamente com derrame exsudativo ele sofrerá procedimentos invasivos sem necessidade. Portanto, os critérios de Light são cruciais nesse processo de diferenciação.

Palavras-chave


Derrame pleural; transudato; exsudato; desidrogenase láctica; critérios de Light



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC