ATENDIMENTO HOSPITALAR NO PRÉ-OPERATÓRIO: uma abordagem Humanizada

Gabriela Luis de Moraes, Daniella da Silva Fraga

Resumo


A humanização da assistência vem tomando proporção expressiva nas ações que buscam a qualificação da atenção à pessoa hospitalizada no contexto brasileiro, especialmente no que requer a assistência em procedimentos cirúrgicos. É inegável e notório o benefício da cirurgia e a qualidade de vida do paciente que recebe esclarecimento sobre a sua cirurgia no pré-operatório mediante abordagem segura e digna. O objetivo deste estudo é apresentar uma breve revisão de literatura acerca da humanização da assistencia junto ao paciente cirúrgico enfocando a atuação do enfermeiro. Esta revisão é parte do projeto de pesquisa de trabalho de curso que será desenvolvido no ano de 2018. O projeto visa a abordagem e comunicação humanizada da enfermagem junto ao paciente cirúrgico, reconhecendo as características da assistência, os sentimentos do paciente acerca da abordagem e do acolhimento recebidos. A metodologia da revisão consistiu na busca de artigos na base eletronica Scientific Electronic Library Online com os descritores humanização, enfermeiro. Foram encontrados cinco artigos publicados entre os anos de 2006 a 2016 e no site do ministerio da saude acerca da politica nacional de humanização sobre o programa humaniza sus. tambem compuseram a amostra seis livros de 1999 a 2012, totalizando quinze obras. A assistência de enfermagem no pré-operatório envolve várias questões, desde os aportes tecnológicos disponíveis até a condição de esclarecimento em saúde do indivíduo que será cuidado. O paciente cirúrgico necessita de uma assistência especial, uma vez que a palavra cirurgia está associada a algo desconhecido, apesar das referências em relação à cirurgia aplicada, cada organismo pode responder de uma maneira, podendo assim gerar sentimentos diferenciados. Na relação entre enfermeiro e paciente, deve-se entender o paciente como um ser que necessita de cuidado, assim o profissional tem a responsabilidade de cuidar do paciente, conhecendo-o, compreendendo-o, confortando-o, desenvolvendo e coordenando as ações necessárias para a harmonização do todo. Esta relação é extremamente importante no período pré-operatório, pois o profissional, além de ter habilidade técnica em relação a equipamentos e procedimentos pertinentes, deve ter conhecimento científico, ser capaz de dialogar, escutar, perceber, tocar, vivenciar e ficar junto ao paciente. No entanto deve-se levar em consideração a realidade do trabalho dos profissionais de saúde e o tempo disponível para os pacientes devido à grande demanda de serviço. O ponto crucial pode estar na disposição de acolher e respeitar o outro como ser humano, que tem um nome e uma história e não apenas é o portador de uma patologia. Essas premissas convergem com o Humaniza SUS, estratégia criada pelo Ministério da Saúde em 2002 com o objetivo de melhorar a qualidade do atendimento, ao conseber que o cuidado humanizado implica no saber cuidar de forma empática, reconhecendo o verdadeiro significado da vida, compartilhando experiências e vivencias para o melhoramento de suas ações pelo cuidador. Conclui-se que os profissionais de enfermagem devem utilizar a comunicação como instrumento para humanizar o cuidado, dialogando com o paciente esclarecendo dúvidas quanto ao seu tratamento, tentando minimizar sua ansiedade causada pela condição de passividade imposta pela doença e hospitalização

Palavras-chave


humanização/acolhimento; equipe de enfermagem; pré-operatório; comunicação.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC