VIVÊNCIAS DOS ESTUDANTES DE MEDICINA NA CRIAÇÃO E CONDUÇÃO DO GRUPO DE ATENÇÃO AOS PACIENTES HIPERTENSOS E DIABÉTICOS EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

SONIMARY ARRUDA, André Luís Chiodini, Brenda Paim, Gabriela dos Santos Bitencourt, Karina Desconsi, Luiz Gustavo Colla, Manuella Martins Dallabrida, Nicole Bairros Silva, Pedro Vinicius Meireles Bail

Resumo


Os indicadores de saúde atualmente apontam para a necessidade emergencial dos serviços de saúde desenvolverem ações voltadas para atenção dos indivíduos portadores de doenças crônicas não transmissíveis, como o Diabetes Mellitus (DM) e na Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), uma vez que atingem um grande número de pessoas. Enquanto estudantes do primeiro ano do curso de medicina, a partir da experiência no cenário de Unidade Prática de Saúde na Comunidade (UPSC), no qual realizamos visitas domiciliares (VD’s), com intuito de identificar as necessidades de saúde dos indivíduos, pudemos identificar a grande quantidade de portadores de DM e HAS nas famílias acompanhadas. Essa percepção nos causou inquietação e nos mobilizou a identificar com a equipe da Unidade Básica de Saúde (UBS) o número de pacientes diabéticos e hipertensos cadastrados nesse território de saúde, encontramos o registro de 425 hipertensos e 193 diabéticos, num universo de 3822 pessoas cadastradas. Com isso, surgiu a ideia da criação de um grupo de atenção aos pacientes portadores de DM e HAS que são atendidos nesse território de saúde. Para o alcance deste objetivo, optamos por desenvolver um projeto de extensão com objetivo de criar o grupo de hipertensos e diabéticos da UBS. A realização do grupo se dá quinzenalmente as quartas-feiras, no salão da igreja do bairro e teve início em agosto de 2017. As atividades são protagonizadas pelos estudantes, pelos participantes e equipe ESF. Para a mobilização da comunidade foram feitos convites que foram entregues pelos estudantes e pelas Agentes Comunitárias de Saúde em suas VD’s, além de toda abordagem da equipe multiprofissional na UBS. Foram realizados até o momento quatro encontros onde abordamos o objetivo do grupo e a programação dos encontros, realizamos uma dinâmica com intuito de conhecê-los os e identificar o nível de conhecimento sobre essas doenças. A partir das dúvidas que surgiram no primeiro encontro explicamos e esclarecemos aspectos sobre DM e HAS. Explicitamos a importância do controle constante dos índices glicêmicos, pressóricos e de circunferência abdominal e IMC e fizemos no final do encontro destinado a esta temática a aferição destes parâmetros nos participantes. Abordamos questões da adesão ao tratamento, sua importância, e a ação dos principais fármacos utilizados no controle da DM e da HAS, a dinâmica deste dia foi à confecção de caixas para o armazenamento dos medicamentos dos participantes. No final de cada encontro, aferimos a pressão arterial e a glicemia capilar dos pacientes. Nos primeiros encontros tivemos a adesão de em média 10 participantes, esperávamos um número maior, entretanto conquistamos no último encontro realizado a adesão de 20 participantes, o que nos estimulou a continuar atuando com o grupo e divulgando-o. Nossa expectativa para os próximos é que, por meio da constante mobilização da comunidade, esse número continue aumentando. Para que, assim, possamos promover saúde e contribuir na melhora da qualidade de vida desses pacientes.

Palavras-chave


grupos; promoção da saúde ; Diabéticos; Hipertensos



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC