CENTRO CIRÚRGICO X SALA HÍBRIDA, CENÁRIO TECNOLÓGICO PARA PROCEDIMENTOS MINIMAMENTE INVASIVO E CIRURGIA CARDÍACA: uma proposta humanizada de protocolos assistenciais

lucas gomes zanchett, KAROLLINE SOUZA RAMOS, REGINA APARECIDA PEREIRA

Resumo


Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que nas últimas décadas, 50 milhões de mortes ocorrem por diagnóstico de doença cardiovascular (DCV), totalizando 17 milhões de pessoas por ano, ou seja, de todas as mortes ocorridas 30% são por doenças cardiovasculares. Dados igualmente alarmantes de mortes por enfermidades cardíacas, apresentados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) trazem que 349 mil pessoas foram a óbito no Brasil em 2016, por comorbidades relacionadas ao sistema cardiovascular, sendo que um número expressivo de pacientes que evoluíram à óbito recorreram a uma intervenção cirúrgica convencional ou a uma prática intervencionista. A cirurgia passou a ter lugar importante no tratamento de diferentes doenças e vem se destacando a cada dia no universo da robótica, a exemplo da criação de sala híbrida, um conceito inovador com recursos que representa a união de uma sala cirúrgica natural com o laboratório de hemodinâmica, incluindo equipamentos de última geração, medicamentos específicos e acessórios necessários ao procedimento cirúrgico e percutâneo. Tem-se como objetivo conhecer o processo de construção de um instrumento sistematizado e humanizado para cuidados de enfermagem voltado, à procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos realizados em sala híbrida de um hospital privado da região serrana de Santa Catarina. Trata-se de um projeto de pesquisa de caráter exploratório descritivo com abordagem qualitativa, no qual, pretende-se elaborar um instrumento de cuidados sistematizados e humanizados para sala híbrida com ênfase em procedimentos técnicos cirúrgicos, adaptado à realidade do universo em estudo, atendendo as exigências da Sociedade Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, recuperação anestésica e centro de materiais e esterilização (SOBECC) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Público alvo contará com dois enfermeiros e seis técnicos de enfermagem que atuam no Centro Cirúrgico e um enfermeiro do setor cirúrgico, tendo como critérios de inclusão aqueles que executam ações ao paciente submetido a procedimento em sala híbrida. O estudo, dar-se-á no primeiro semestre de 2018, após a aprovação do Comitê de Ética das instituições envolvidas e, assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, conforme Resolução do CNS 466/12. A coleta de dados por meio de entrevista com perguntas estruturadas e semiestruturadas considerando a relevância do tema. Análise dos dados dar-se-á a partir de categorias e subcategorias que emergirão das leituras feitas dos registros coletados, subsidiados na metodologia de análise de conteúdo. Destaca-se a importância deste estudo frente a complexidade inovadora de procedimentos híbridos no que requer ações de enfermagem atualizadas precisas e seguras com redução de trauma em tratamento cirúrgico com técnica minimamente invasivas realizada à pacientes com comorbidade cardiovascular.

Palavras-chave


hemodinâmica; sala híbrida; cuidados de enfermagem; cirurgia cardíaca; protocolos assistenciais.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC