REVISÃO BIBLIOGRÁFICA: DIABETES MELLITUS

rafael brandl

Resumo


Segundo a Federação Internacional de Diabetes há no mundo 415 milhões de pessoas (entre 20 e 79 anos) com diabetes, sendo no Brasil 14,3 milhões. A perspectiva é de uma prevalência mundial de 642 milhões de indivíduos diabéticos em 2040, atingindo mais homens e a população urbana em detrimento das mulheres e da população rural. Patologia é decorrente da ineficácia da secreção ou da resposta inadequada do metabolismo a insulina, causando um estado hiperglicêmico potencialmente danoso, de forma aguda ou crônica, ao organismo. Demonstrar os principais fatores de risco (FR), sinais e sintomas e manifestações clínicas do diabetes. Esse estudo foi elaborado a partir de uma revisão de literatura em bases de dados da: Federação Internacional de Diabetes, Livros didáticos, Diretriz de diabetes e Scielo dos últimos 7 anos. Resultado: DM possui alta taxa de mortalidade, sendo importante tanto para o profissional da saúde como para o paciente, reconhecer seus sinais e sintomas até mesmo para busca de auxílio e atendimento em menor espaço de tempo, evitando possíveis complicações. Entre os sinais e sintomas mais recorrentes encontram-se poliúria, polidipsia e polifagia. Quando os níveis sanguíneos de glicose estão elevados a quantidade de glicose filtrada pelos glomérulos ultrapassa a quantidade que pode ser reabsorvida pelos túbulos renais, resultando em glicosúria acompanhada de grandes perdas de água na urina. A sede decorre da desidratação intracelular que ocorre quando os níveis sanguíneos de glicose aumentam e a água é retirada das células corporais. Polifagia resulta da depleção das reservas celulares de carboidratos, lipídios e proteínas. A perda de peso, apesar do apetite aumentado, é comum devido a perda de líquidose de tecidos corporais pois o organismo utiliza suas reservas de gordura e proteínas celulares como fontes de energia. A visão turva ocorre devido à exposição da lente e da retina a líquidos hiperosmolares. A redução do volume plasmático produz fraqueza e fadiga. As parestesias refletem uma disfunção temporária dos nervos sensitivos periféricos. Já em relação aos FR, existem duas subcategorias: modificáveis e não modificáveis. Entre os principias FR não modificáveis encontram-se: idade e histórico familiar.Já entre os FR modificáveis encontra-se: Obesidade, circunferência abdominal alterada, IMC alterado, sedentarismo, Hipertensão arterial sistêmica, glicemia capilar alterada e cardiopatias. Observa-se que a maioria dos pacientes afetados possuem ao menos três FR para a DM. Dentre as manifestações clínicas encontram-se: retinopatia, nefropatia e neuropatia. Reconhecimento dos sinais e sintomas previamente evita complicações futuras ao paciente. O DM causa aproximadamente 5 milhões de mortes ao ano, sendo que este número tende a ser maior, visto que 1 a cada 2 pessoas com diabetes não são diagnosticadas. Com o reconhecimento dos FR e intervenções no estilo de vida e farmacológico, quando necessário, haverá diminuição da mortalidade e custo financeiro com esta patologia.

Palavras-chave


diabetes; fatores de risco; sinais; sintomas



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC