PET-SAÚDE GRADUASUS: FORMAÇÃO PARA O SUS

Renata Couto de Arruda Bunn, Vivian de Oliveira, Deise Paim Córdova, Igor Fonseca dos Santos, Pâmela Silva dos Santos, Dyeniffeer Bastos Rodrigues, Vitória Elis Spindula, Camila Lemos Farias, Mirian Kuhnen

Resumo


Como uma das ações intersetoriais direcionadas para o fortalecimento de áreas estratégicas para o Sistema Único de Saúde - SUS, de acordo com seus princípios e necessidades, o Programa PET-SAÚDE GRADUASUS, tem como pressuposto a educação pelo trabalho e disponibiliza bolsas para tutores, preceptores e estudantes de graduação da área da saúde, sendo uma das estratégias do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde, o PRÓ-SAÚDE, em implementação no país desde 2005. O PET-Saúde tem como fio condutor a integração ensino-serviço-comunidade. Na Universidade do Planalto Catarinense, o projeto engloba três áreas da saúde sendo: Enfermagem, Odontologia e Medicina, contendo coordenadores do projeto, tutores, preceptores com a integração de multiprofissionais e acadêmicos bolsistas e voluntários. Cada grupo junto com seus preceptores vivencia experiências práticas na comunidade e teóricas a cargo dos tutores. O projeto que é direcionado para um programa integrador em saúde coletiva, pretende incentivar e possibilitar a formação dos estudantes da graduação na área da saúde coletiva – enquanto campo científico, no âmbito de práticas e na atividade profissional e multiprofissional - integrando três aspectos básicos: ciências sociais e humanas, epidemiologia e planejamento. A formação destes estudantes buscará incorporar o eixo “saúde-doença-cuidado” na racionalidade da saúde coletiva, que pretende a viabilidade de um SUS para e com todos. Para a realização do estudo teórico, os acadêmicos e tutores se reúnem semanalmente na universidade. Os estudos abordam questões referentes ao desenvolvimento do projeto e suas propostas e objetivos esperados para os dois anos; a leitura de Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Odontologia; o debate da ementa do curso, desse modo sendo possível a percepção e contribuição dos acadêmicos com o embasamento adquirido até então para as possíveis modificações na estrutura curricular, proporcionando uma inserção desde cedo dos estudantes da graduação, no âmbito da saúde pública. Dentre as atividades propostas pelos tutores, estão cursos voltados ao SUS, aos quais proporcionam a reflexão sobre as articulações em equipe desenvolvidas a partir do processo de trabalho, ampliando a compreensão sobre a funcionalidade e as propostas do trabalho com grupos, facilitando e reorganizando a prática profissional, assim como as dificuldades em se trabalhar em uma equipe multiprofissional e quais os benefícios, quais os desafios da gestão na saúde pública e como superá-los entre outros aspectos discutidos. O levantamento dessas informações proporciona aos acadêmicos uma ferramenta muito importante conducente à saúde, sendo a sensibilização, observação e empoderamento na execução das várias atividades nos cenários distintos. Esse estudo teórico juntamente com os tutores, os quais passam suas visões e experiências aos acadêmicos, é de riquíssimo valor para a visão ampliada na questão ensino-saúde-comunidade. Essa bagagem de informações e práticas adquiridas pelos acadêmicos inseridos no SUS desde a universidade não seria possível somente em âmbito escolar de sala de aula, permitindo aos mesmos concluir a graduação, prontos para contribuir e atuar na saúde pública.

Palavras-chave


SUS; PET-SAÚDE; Diretrizes Curriculares Nacionais; Multiprofissional.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC