LEIOMIOSSARCOMA PLEOMÓRFICO

Fernanda Orlandini do Nascimento

Resumo


A Unidade Educacional Eletivo do 4º Ano do curso de Medicina foi desenvolvida na área de Oncologia Clínica no Hospital de Câncer de Cascavel-PR com pacientes oncológicos. Este período de estágio proporcionou desenvolver conhecimentos relacionados à clínica das patologias oncológicas onde contemplou-se os objetivos pré instituídos, como aperfeiçoar-se nas práticas de anamnese e exame físico em um paciente oncológico, desenvolver o raciocínio clínico e compreender os mecanismos e orientações utilizados nos ambulatórios. O objetivo deste trabalho é apresentar uma breve revisão de literatura sobre os Leiomiosarcomas que é parte integrante de um projeto de pesquisa sobre relato de caso que está em apreciação pelo Comitê de ética em Pesquisa. As informações contidas nesse estudo foram obtidas através da revisão em 4 artigos científicos disponíveis em: World Journal of Gastrointestinal Oncology, Revista Amrigs e na base SCIELO utilizando o descritor “Leiomiossarcoma hepático”. Leiomiosarcomas são neoplasias malignas que surgem do músculo liso ocorrendo mais comumente em útero, região retroperitoneal e extremidades, cujas lesões atingem em torno de 7% dos tumores de partes moles cuja média de idade é de 58 anos e acomete com maior frequência o sexo feminimo. Sendo menos de 30 casos relatados na literatura inglesa, o leiomiossarcoma hepático primário é originado de estruturas vasculares intrahepáticas, ductos biliares ou ligamento teres e em relação à etiologia, sugere-se que o Vírus da Imunodeficiência Adquirida, o vírus Epstein Barr e o Linfoma de Hodking associam-se com o aparecimento dessa patologia e apesar de os sinais e sintomas clínicos serem inespecíficos alguns sintomas são relatados como dor abdominal, perda de peso, icterícia e sangramento intraabdominal. O exame histológico revela tumor composto de feixes de células de forma de fuso e a imuno-histoquímica apresenta positividade para desmina e actina músculo-específica. Assim, devido à raridade dos sarcomas e especificamente, o leiomiossarcoma hepático primário, a conduta terapêutica não foi completamente definida, porém a ressecção cirúrgica seguida de quimioterapia está sendo seguida de forma empírica . Portanto, é notável que a maioria de todos os sarcomas primários do fígado são angiossarcomas, ou sarcoma embrionário, que constituem quase 70%, porém uma minoria dessa parcela é que ainda não há conduta terapêutica completamente definida além de que a ressecção cirúrgica e a quimioterapia são ainda, tratamentos empíricos para esse sarcoma.

Palavras-chave


Sarcoma; Leimiossarcoma pleomórfico; Diagnóstico; Tratamento; Metástase



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC