O transplante cardíaco sob ponto de vista acadêmico

Maria Fernanda Carvalho Stegg da Silva

Resumo


O presente estudo foi realizado durante a Unidade Educacional Eletivo do Curso de Medicina, durante o mês de junho e julho de 2017, na área de Cirurgia, acompanhando os atendimentos às pessoas que necessitaram de transplante de coração no Hospital Angelina Caron em Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba. No Brasil estudos hemodinâmicos e transplante cardíaco datam de 26 de maio de 1968 quando foi realizado o primeiro transplante no país. Desde esse período o transplante cardíaco é considerado padrão-ouro para tratamento da insuficiência cardíaca refratária. Para viabilidade da terapêutica são utilizados critérios da II Diretriz de Transplante Cardíaco (2010) desde a avaliação do receptor; indicações e contraindicações para a cirurgia cardíaca o e preparo do paciente para a operação. No ambiente cirúrgico o acadêmico de medicina por meio de conhecimentos prévios a respeito das patologias quem podem levar à insuficiência refratária consegue contextualizar o procedimento do transplante cardíaco desde o prosseguimento na avaliação e viabilidade do doador até análise de compatibilidade do receptor, incluindo nesse processo também a realização de exames tanto do doador quanto do receptor. Dessa forma o objetivo desse trabalho é apresentar uma revisão de literatura que analisa o procedimento do transplante cardíaco sob ponto de vista acadêmico desde a avaliação do paciente com insuficiência cardíaca refratária ao tratamento até manejo e técnicas cirúrgicas realizadas durante transplante. As pesquisas de dados para elaboração desse artigo de revisão foram elaboradas durante o período de estágio, no hospital, nos períodos de doze de junho de 2017 até dez de julho de 2017 para coleta de dados dos pacientes que necessitaram de transplante cardíaco, neste intervalo de tempo foram realizados quatro procedimentos em pacientes do sexo masculino, entre as faixas etárias de 35 a 62 anos, todos tinham insuficiência cardíaca em estágio avançado. Além da coleta de dados foram empregados pesquisas em dois livros técnicos de Medicina voltados para área de cardiologia e cirurgia cardíaca: “Cardiologia para o Clínico Geral” de Celso Ferreira (2000) e o livro “Tratado de Cardiologia SOCESP (2009) e dois artigos científicos: “Transplante cardíaco – indicações e contra-indicações” (2003) de Ivo Nesralla e “Organização do transplante cardíaco no Brasil” (1999) de João Nelson Rodrigues Branco, totalizando quatro fontes bibliográficas. A II Diretriz Brasileira de Transplante Cardíaco de 2010 foi conciliada com as demais pesquisas bibliográficas . Além disso foram realizadas buscas sistemáticas nas bases de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) com descritores específicos conforme determinação dos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) com as seguintes palavras-chave: transplante cardíaco, insuficiência cardíaca e cirurgia cardíaca. Conclui-se que a análise prévia sobre doenças e comorbidades que levam à insuficiência cardíaca não responsiva ao tratamento medicamentoso sugestionam a escolha da cirurgia de transplante e visando essa situação, o estudante de medicina consegue compreender em sua totalidade os trâmites do processo do transplante de coração.

Palavras-chave


Cirurgia Cardíaca; Insuficiência cardíaca; Transplante cardíaco.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC