MOTIVOS QUE LEVAM O USUÁRIO AO PRONTO-ATENDIMENTO EM LAGES-SC

Larissa Marin Araldi

Resumo


INTRODUÇÃO: observa-se, a partir da prática médica e da leitura de artigos que abordam o tema, que a comunidade não utiliza a APS como primeiro contato com o SUS, dirigindo-se aos serviços de emergência com queixas que poderiam ser resolvidas nas Unidades Básicas de Saúde. Assim, o PA realiza atendimentos que não são de sua plena atribuição, absorvendo uma demanda de usuários que poderiam ser acolhidos em outros pontos da rede, culminando com a superlotação do serviço e originando um problema de saúde pública municipal. Essa pesquisa justifica-se pela evidente importância de pesquisar quais os motivos da população procurar o PA, para a elaboração de políticas públicas de saúde que proporcionem qualificação do atendimento de urgência e emergência e um aumento do poder de resolução da atenção básica. HIPÓTESES: Baseado no resultado de outros artigos de mesmo tema e experiência acadêmico-profissional, espera-se que os resultados apontem que a maioria das queixas apresentadas sejam de caráter não-emergencial e que o serviço é buscado pelos usuários por outros motivos, como proximidade do local de moradia e falta de médicos nas UBS. Acredita-se que o perfil de pacientes que mais buscam o PA são mulheres em idade reprodutiva e que o pico de atendimento se dá no início da semana, no meio dos períodos matutino e vespertino (10h e 15h). OBJETIVO: caracterizar a demanda dos usuários no Pronto Atendimento do município de Lages-SC, baseado em seu perfil epidemiológico, suas queixas e avaliação da necessidade de estar em um serviço de emergência. Ao final do estudo, propõe-se discutir alternativas para a organização e direcionamento adequado dos pacientes de acordo com a queixa e situação clínica apresentada e elaborar estratégias para explicar à população o atendimento oferecido por cada serviço de saúde, a fim de facilitar o auto-direcionamento correto para cada serviço. METODOLOGIA: participarão da pesquisa todos os pacientes que buscarem espontaneamente o serviço do Pronto Atendimento Tito Bianchini no município de Lages-SC. A pesquisa será realizada através de um questionário com 3 questões impresso em folha de papel A4, contendo perguntas relacionadas ao perfil e a classificação de risco designada pela enfermagem dos pacientes que frequentam o Pronto Atendimento, suas queixas e motivos de dirigirem-se ao serviço de emergência. O projeto será submetido previamente a avaliação pelo Comitê de Ética em Pesquisa em seres humanos da UNIPLAC e seguirá os pressupostos previstos na Resolução 466/2012 do Plenário do Conselho Nacional de Saúde e somente será desenvolvido após sua aprovação. A concordância dos pacientes respondentes em participar do estudo será por meio da assinatura do Termo de Consentimento Livre Esclarecido (TCLE) conforme Resolução do Conselho Nacional de Saúde (CNS) N° 196/96 o qual trata sobre a pesquisa com seres humanos. Os participantes da pesquisa serão esclarecidos sobre o objetivo da investigação e assinarão o TCLE em duas vias, sendo uma via para a pesquisadora e a outra fornecida a cada paciente.

Palavras-chave


Sistema Único de Saúde; Emergências; Serviços Médicos de Emergência



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC