REVISÃO BIBLIOGRÁFICA: SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO (STC): O USO DA ULTRASSONAGRAFIA NO SEU DIAGNÓSTICO.

DAIANI BIAZOLO

Resumo


A STC é uma neuropatia compressiva que afeta o nervo mediano no punho. É a síndrome mais frequente das síndromes compressivas. A STC acomete entre 4% e 5% da população, sendo mais comum em mulheres entre 40 e 60 anos de idade. Realizou-se revisão bibliográfica em livros de Ortopedia e Semiologia Médica e artigos científicos na base de dados Elsevier(2013-2014) e Scielo(2005-2017). O objetivo do trabalho é identificar as causas da STC e o diagnóstico efetivo. O Túnel do Carpo é um espaço anatômico na face anterior do punho formado pelos ossos do carpo. O nervo mediano atravessa o Túnel do Carpo junto com os nove tendões dos músculos flexores superficial e profundo dos dedos e com o músculo flexor do polegar. De acordo com o quadro clínico a queixa principal é a dormência, principalmente noturna, seguida de parestesia, dor, hipotensão e fraqueza na mão. A parestesia e o formigamento ocorrem no polegar, dedo indicador, dedo médio e metade medial do dedo anular. Existem várias causas para a STC como: processos inflamatórios e infecciosos, doenças metabólicas, alterações anatômicas, origem traumática, lesões por esforços repetitivos, processos tumorais, entre outras, mas a maioria dos casos é de natureza idiopática. O diagnóstico dessa patologia é clinico, e ao exame físico, os testes mais realizados para a confirmação do diagnóstico são o Teste de Tinel (percussão da superfície palmar do punho com o martelo neurológico) e o Teste de Phalen (flexão e aproximação de ambos os punhos durante 60 segundos). A eletroneuromiografia (EMG) é um dos exames utilizados para acompanhar o diagnóstico, porém esse exame é de difícil acesso, pois não são todos os serviços do sistema único de saúde (SUS) que oferecem, além disso, é um exame de alto custo para o SUS. Sendo assim, de acordo com estudos a ultrassonografia (US) do punho com medição da área do nervo mediano (ANM) tem sido considerada uma opção à EMG. Uma ANM de 9 mm² no túnel do carpo distal, ao nível do osso pisiforme, é considerada diagnóstica de STC. Outro fator importante é que US é um exame com alta sensibilidade e especificidade para o diagnóstico se comparado a outros exames. Comparando a EMG com a US a US tem uma boa relação custo-benefício, é bem tolerada pelos pacientes, é de fácil execução, podendo diagnosticar distúrbios associados e variações anatômicas neurais. O tratamento é realizado de acordo com a situação atual da doença e intensidade dos sintomas, mas geralmente se da por injeção de corticoide, imobilização por órtese, administração de corticoide via oral e em casos mais graves cirurgia. Portanto, não há um consenso na literatura sobre as causas específicas que levam ao aparecimento da STC, mas a maioria dos casos é idiopática. Para a efetivação do diagnóstico a US se mostrou mais eficaz se comparada a outros exames.

Palavras-chave


Ossos do Carpo; Nervo Mediano; Parestesia; Aparelhos ortopédicos.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC