Coagulação Intravascular Disseminada: uma revisão bibliográfica

Bianca Pasqualini, Leonardo Girardi, Luana Czapla

Resumo


A coagulação intravascular disseminada (CIVD), também denominada coagulopatia de consumo ou Síndrome da desfibrinação, caracteriza-se pela ativação difusa da coagulação intravascular, levando à formação e deposição de fibrina na microvasculatura. É uma complicação de alguma doença subjacente, ocorrendo em 0,1 a 1% das admissões hospitalares. O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma breve revisão bibliográfica sobre coagulação intravascular disseminada, haja vista a relevância do tema e a deficiência de pesquisas atuais, deu-se a necessidade de arquitetar conhecimentos a respeito. As informações foram colhidas em 3 livros didáticos pertencentes ao acervo da Biblioteca da UNIPLAC e em 9 artigos da base de dados eletrônicos Google Scholar usando-se como filtro o período de 2000 a 2017, publicados em língua portuguesa e utilizadas as palavras-chave: “coagulação intravascular disseminada” e “coagulopatia de consumo”. Considera-se, por meio dos estudos teóricos, que na CIVD ocorre um consumo e, consequentemente, depleção maciça e sistêmica de fatores plasmáticos da coagulação e de plaquetas. A ativação da cascata de coagulação determina a formação de trombos e fibrina na microvasculatura com consumo maciço dos fatores da coagulação. Esse processo culmina na deficiência de importantes fatores envolvidos no processo fisiológico da coagulação sanguínea, levando a um sangramento descontrolado em todo o sistema circulatório. Dentre as causas que levam à essa síndrome, estão os traumas extensos, atos cirúrgicos, choques, carcinomas e leucemias, transfusões com sangue incompatível, septicemia, pancreatite e outras condições isoladas. Clinicamente, pode-se observar sinais de resposta inflamatória sistêmica, como febre, hipotensão, acidose, manifestações de sangramento difuso (petéquias, equimoses, sangramento em locais de punção venosa e cicatriz cirúrgica ou traumática) e sinais de trombose. Dentre os exames laboratoriais que auxiliam no diagnóstico, então contagem de plaquetas e visualização do esfregaço de sangue periférico, TP, TTPa, TT, dosagem de fibrinogênio, fibrinogênio e produtos da degradação da fibrina (PDFs) e dímeros-D. E, o tratamento primordial é a correção imediata da causa de base. Devido a importância do assunto, mais estudos a cerca do tema devem ser estimulados pela sociedade científica para que mais casos possam ser identificados e tratados precocemente.

Palavras-chave


Coagulação Intravascular Disseminada; Coagulopatia de consumo



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC