PROJETO DE PESQUISA SOBRE O DIAGNÓSTICO DA ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA

Leonardo Domingos

Resumo


A Esclerose Lateral Amiotrófica(ELA) é uma doença neurodegenerativa gradual que afeta os neurônios motores superiores e inferiores, causando distúrbios nos movimentos. É uma doença rara que afeta principalmente os idosos. Esse projeto trata-se de uma pesquisa oriunda da Unidade Educacional Eletivo do quarto ano de medicina, que configurar-se-á em trabalho de curso (TC) e tem por objetivo apresentar uma revisão acerca da forma de diagnosticar a ELA. A metodologia segue a pesquisa bibliográfica em que far-se-á uma revisão integrativa. Os descritores a serem utilizados na busca serão Doença dos Neurônios Motores; Diagnóstico e Esclerose Amiotrófica Lateral. Até o momento foram selecionadas 13 literaturas publicadas entre os anos de 2003 a 2017, contudo ainda estão sendo refinados os critérios de inclusão dessa amostragem. Os resultados parciais ora apresentados compõe a parte introdutória do projeto. A Esclerose lateral amiotrófica geralmente começa distalmente em um dos membros se espalhando para outras regiões do corpo, acometendo o primeiro e o segundo neurônio motor através da degeneração das vias corticoespinhais da coluna medular. Essa morte celular leva a desenervação e a atrofia muscular. A ELA acomete as células do corno anterior da medula espinhal, núcleos motores do tronco encefálico e neurônios motores inferiores do córtex cerebral com preservação do nervo oculomotor e neurônios parassimpáticos sacrais, além disso também preserva a própria consciência da pessoa. Os pacientes apresentam fraqueza, paresia, espasticidade e hiperreflexia devido à síndrome do primeiro neurônio motor, além de atrofia muscular e miofasciculações da síndrome do segundo neurônio motor. Como dito, a doença se inicia em um membro e depois se espalha, com uma evolução progressiva, para o corpo, afetando a região bulbar, ocasionando disartria, disfonia e disfagia, atingindo um ponto no qual afeta até a musculatura respiratória a partir dai a pessoa morre por insuficiência respiratória. A manifestação clinica inicial pode variar desde afetar só 1 membro distal com atrofia, descoordenação motora e comprometimento da dorso flexão (75% dos casos) até afetar já a região bulbar afetando a fala, fraqueza dos músculos faciais e língua espastica (25% dos casos). É uma doença em que o diagnóstico é feito pela clinica e que não possui cura. A ELA pode ser confundida com outras doenças. Assim mostra-se a importância de conhecer a ELA e saber diagnosticá-la.

A Esclerose Lateral Amiotrófica(ELA) é uma doença neurodegenerativa gradual que afeta os neurônios motores superiores e inferiores, causando distúrbios nos movimentos. É uma doença rara que afeta principalmente os idosos. Esse projeto trata-se de uma pesquisa oriunda da Unidade Educacional Eletivo do quarto ano de medicina, que configurar-se-á em trabalho de curso (TC) e tem por objetivo apresentar uma revisão acerca da forma de diagnosticar a ELA. A metodologia segue a pesquisa bibliográfica em que far-se-á uma revisão integrativa. Os descritores a serem utilizados na busca serão Doença dos Neurônios Motores; Diagnóstico e Esclerose Amiotrófica Lateral. Até o momento foram selecionadas 13 literaturas publicadas entre os anos de 2003 a 2017, contudo ainda estão sendo refinados os critérios de inclusão dessa amostragem. Os resultados parciais ora apresentados compõe a parte introdutória do projeto. A Esclerose lateral amiotrófica geralmente começa distalmente em um dos membros se espalhando para outras regiões do corpo, acometendo o primeiro e o segundo neurônio motor através da degeneração das vias corticoespinhais da coluna medular. Essa morte celular leva a desenervação e a atrofia muscular. A ELA acomete as células do corno anterior da medula espinhal, núcleos motores do tronco encefálico e neurônios motores inferiores do córtex cerebral com preservação do nervo oculomotor e neurônios parassimpáticos sacrais, além disso também preserva a própria consciência da pessoa. Os pacientes apresentam fraqueza, paresia, espasticidade e hiperreflexia devido à síndrome do primeiro neurônio motor, além de atrofia muscular e miofasciculações da síndrome do segundo neurônio motor. Como dito, a doença se inicia em um membro e depois se espalha, com uma evolução progressiva, para o corpo, afetando a região bulbar, ocasionando disartria, disfonia e disfagia, atingindo um ponto no qual afeta até a musculatura respiratória a partir dai a pessoa morre por insuficiência respiratória. A manifestação clinica inicial pode variar desde afetar só 1 membro distal com atrofia, descoordenação motora e comprometimento da dorso flexão (75% dos casos) até afetar já a região bulbar afetando a fala, fraqueza dos músculos faciais e língua espastica (25% dos casos). É uma doença em que o diagnóstico é feito pela clinica e que não possui cura. A ELA pode ser confundida com outras doenças. Assim mostra-se a importância de conhecer a ELA e saber diagnosticá-la.

Palavras-chave


Esclerose Amiotrófica Lateral; Diagnóstico; Doença dos Neurônios Motores



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC