HANSENÍAS, SUAS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS E LESÕES DE PELE

Aline Campani Rodrigues

Resumo


A hanseníase é uma infecção granulomatosa crônica, causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, caracteriza-se pela alta contagiosidade e baixa morbidade. A manifestação, principalmente na pele e nervos periféricos, confere a esta moléstia características peculiares tornando o seu diagnóstico, por vezes, simples. As manifestações clínicas da doença estão diretamente relacionadas ao tipo de resposta imunológica ao bacilo transmissor da doença, o que leva a diferentes. Cada evolução possui diferentes tipos de lesões cutâneas características, o que nos permite identificar a manifestação clínica e vir a tratar o paciente. O objetivo deste trabalho é apresentar características da hanseníase e suas diferentes manifestações clínicas. Foi realizada pesquisa na Base de Dados eletrônicos SciELO, utilizando um artigo publicado em 2003, juntamente com um artigo publicado pela Universidade Estadual Paulista em 2012 aliados a uma revisão publicada pela Coordenação Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação, com combinações das palavras-chave: Hanseníase, Lepra, Mycobacterium leprae. A classificação dos quadros clínicos que é mais utilizada no Brasil é a de Madri (Congresso Internacional, 1953). Nesta, consideram-se dois polos estáveis e opostos (virchowiano e tuberculóide) e dois grupos instáveis (indeterminado e dimorfo), que seriam a evolução natural da doença. Considerando a classificação de Madrid, temos dentro das manifestações clínicas citadas, as seguintes características das lesões cutâneas: Hanseníase indeterminada geralmente nessa forma clínica, encontra-se apenas uma lesão, hipocrômicas com alteração da sensibilidade podendo ser acompanhadas de redução de pelos e/ou redução do suor. Hanseníase tuberculóide, na qual as lesões encontram bem delimitadas, em número reduzido, de distribuição assimétrica, apresentam-se em placas com bordas papulosas em áreas de pele eritematosas ou hipocômicas. Ainda se caracteriza pela ausência de sensibilidade. Hanseníase virchowiana (ou lepromatosa) as lesões cutâneas caracterizam-se por placas resultantes da infiltração progressiva e difusa da pele (mucosas, linfonodos, fígado e baço). Na pele, desenvolvem-se nódulos, pápulas e máculas de coloração eritemato-acastanhada ou ferruginosa e for fim a Hanseníase Dimorfa (Boderline) aonde o número de lesões cutâneas é maior e apresentam-se como placas eritomatosas, manchas hipocrômicas com bordas ferruginosas ou até manchas acastanhadas de limites internos nítidos e externos imprecisos. As lesões mais características nesta forma clínica são denominadas lesões pré-foveolares ou foveolares, elevadas ou não, com áreas centrais deprimidas e aspecto de pele normal. Então, após a realização das atividades práticas e observacionais da Unidade Educacional Eletivo pode-se destacar a importância da realização de um exame físico das lesões e identificação do quadro clínico, uma vez que esta doença apresenta diversas formas de apresentação cutânea e repercussões sistêmicas que se tratadas podem vir a ser evitadas/controladas.

Palavras-chave


hanseníase



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC