Revisão bibliográfica: Edema de Reinke

VICTOR VALERIO FADEL

Resumo


Introdução: O edema de Reinke corresponde a uma lesão organofuncional benigna, sendo caracterizado pelo acúmulo de conteúdo líquido ou gelatinoso (podendo ainda ser semisólido) na camada superficial da lâmina própria (espaço de Reinke) das pregas vocais, e levando à deformação na face superior e na borda livre da mesma. Apresenta incidência em indivíduos acima dos 40 ou 50 anos de idade, quase não havendo distinção de incidência entre homens e mulheres (devido a menor procura por ajuda medica por parte do sexo masculino, consta-se maior incidência no sexo feminino). Métodos: Uma revisão bibliográfica foi realizada a partir de livros e artigos científicos, com base em dados da Scielo, Fundação Otorrinolaringologia e Brazilian Jornal of Otorhinoaringology, entre 1998 e 2012. Revisão: O edema de Reinke é resultado da exposição crônica a fatores potenciamente agressores na laringe, tendo como principal exemplo o tabagismo associado ao uso abusivo da voz. Ocorre, devido a esses fatores, uma alteração na permeabilidade dos vasos capilares da região, levando ao aumento de fluido tecidual dentro do espaço de Reinke. Haverá uma modificação no arranjo das fibras elásticas, de um padrão propício à vibração normal das pregas vocais, paralelo à borda livre, para um arranjo perpendicular que torna a vibração dificultosa, resultando em aperiodicidade. Manifesta-se tipicamente por rouquidão persistente e lentamente progressiva. Casos em que há sintomas de refluxo gastroesofágico podem estar presentes. Como característica, a voz se apresenta fluida, aveludada e grave. Com certa frequência, mulheres queixam-se de ser confundidas com homens ao telefone. O tratamento baseia-se, principalmente, em interromper o tabagismo, associado à fonoterapia. Em hipótese de não houver melhora da qualidade vocal ou se o indivíduo ainda não estiver satisfeito com a voz, o método cirúrgico estará indicado. A cirurgia consiste na aspiração desse conteúdo gelatinoso a partir de uma incisão na mucosa ao longo da prega vocal, deixando apenas uma pequena quantidade para promover o deslizamento da superfície da prega vocal sobre o espaço de Reinke, e por fim devendo-se ressecar o excesso de mucosa e, se possível, fazer a sua aproximação. A melhora da voz será perceptível a partir de 3 a 4 semanas de pós-operatório, sendo que exercícios fonoterápicos com sons vibratórios devem ser realizados 20 dias após cirurgia para redução do edema. Conclusão: A partir do que foi exposto, pode-se inferir que a principal forma de impedir o surgimento desse tipo de lesão se baseia na reeducação comportamental, alertando-se sobre os males do tabagismo e do esforço abusivo da própria voz, assim como incentivar a busca por tratamento médico a partir do momento em que o individuo constatar quaisquer anormalidades, assim evitando um agravamento do quadro clínico, principalmente em pacientes do sexo masculino.

Palavras-chave


Edema de Reinke; tabagismo; esforço de voz



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC