UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA MALDI-TOF MS NA MICROBIOLOGIA CLÍNICA

Leandro Teixeira Wolff

Resumo


A identificação de micro-organismos como bactérias, fungos e parasitos patogênicos, é comumente realizada de forma clássica por métodos que envolvem cultura e, posteriormente, testes bioquímicos investigando as diferenças metabólicas que existem entre as várias espécies. Estas análises no laboratório de microbiologia costumam ser muitos dispendiosas, levando em torno de 24 a 48 horas para que uma bactéria seja distinguida, ou mais, em situações específicas e de 7 a 14 dias para que uma colônia fúngica seja caracterizada, em razão disso, a liberação de um resultado fidedigno torna-s­­­­­­­­­­e muito demorado, perdendo muitas vezes impacto clínico e comprometendo a correta terapia antimicrobiana no tratamento do paciente. A tecnologia Espectrometria de Massa por Tempo de Voo – Ionização/Dessorção a Laser Assistida por Matriz (em inglês: Matrix-Assisted Laser Desorption/Ionization – Time of Flight Mass Spectrometry), MALDI-TOF MS, utiliza de íons de massa e carga diferentes, que quando submetidos a um campo elétrico, se deslocam e a distância percorrida em determinado tempo, é em função da relação carga/massa. As identificações são realizadas ao comparar o espectro de massa do analito com espectros de referência de banco de dados. O objetivo deste estudo é investigar as características da tecnologia MADI-TOF MS na realização de ensaios microbiológicos. Trata-se de uma revisão bibliográfica, em que foi realizada uma pesquisa sobre o tema, através de portais de busca como Scielo, Pubmed, National Center of Biotechnology Information e entre outros, utilizando-se os descritores “MALDI-TOF MS” e “diagnóstico microbiológico”. Essa técnica permite diagnósticos microbiológicos complexos, como por exemplo, a especiação correta dos Staphylococcus coagulase-negativos ou a sorologicamente lenta e sujeita a erros definição dos vários sorovariantes da Salmonella entérica, além do diagnóstico de fungos de importância médica e de Mycobacterium spp., com algumas modificações técnicas. À medida que o uso dessa técnica aumenta, os bancos de dados ficam mais completos e a identificação mais acurada, contudo, esta tecnologia iniciante apresenta algumas limitações, tais como, aprimoramento dos bancos de dados, para bactérias e fungos que ainda não foram representados, culturas polimicrobianas podem ocasionar divergências na identificação, algumas espécies filogeneticamente próximas podem ter perfis idênticos de espectro de massa e não serem diferenciadas, além de os estudos de detecção de patógenos resistentes aos antimicrobianos ou mecanismos de resistência, até então serem principiantes, sendo ainda necessário o cultivo dos micro-organismos para realização de testes de suscetibilidade aos antimicrobianos. Em laboratórios de análises clínicas, quando estes possuem uma alta demanda de amostras que serão submetidas ao setor de microbiologia, esta tecnologia pode ser aplicada, principalmente a nível hospitalar ou de laboratório de referência numa região, uma vez que a necessidade da automação faz-se indispensável, para dar suporte à procura, apesar do custo inicial ser alto. Esta tecnologia se mostra consideravelmente vantajosa neste setor das análises clínicas, proporcionando uma maior agilidade na obtenção dos resultados finais e melhor precisão na identificação de diversas espécies de micro-organismos, os quais são aspectos importantes na rotina do laboratório clínico e microbiológico, minimizando o tempo para a realização de diagnósticos convencionais e otimizando, por exemplo, a terapia antimicrobiana.

Palavras-chave


identificação microbiológica; espectrometria de massa; diagnóstico.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC