Energia e Saúde: inserção do Reikiterapia na UBS Promorar

Jessica Pimentel de Liz, Ludmilla Córdova de Jesus, Giovana Bedin Pereira, Aline Soares Salvador, Lais Santos Peres, Renata Couto de Arruda Bunn

Resumo


O presente projeto justifica-se na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, a qual tem por objetivos estimular os mecanismos naturais de prevenção de agravos e recuperação de saúde, com utilização de tecnologias leves (escuta acolhedora, vínculo terapêutico, integração ser humano e meio ambiente), além de enfatizar a Atenção Primária voltada ao cuidado continuado, humanizado e integral em saúde. Recentemente, o Ministério da Saúde, lançou a Portaria n. 145 de 11 de janeiro de 2017, reconhecendo a importância do Reikiterapia enquanto uma Prática Integrativa e Complementar e incluindo o Reiki na Tabela de Procedimentos do SUS para a Atenção Primária. Esse projeto destina-se à profissionais em saúde e comunidade inseridas nos Bairros Bela Vista e Promorar, no município de Lages, SC. O objetivo da inserção do reiki enquanto Prática Integrativa e Complementar, é contribuir com o tratamento da saúde física e mental dos pacientes. A metodologia utilizada para tal considera que este esteja disponível para todos, e o seu acesso na Unidade Básica de Saúde por demanda livre ou encaminhamentos realizados pela equipe. Cada paciente possui quatro horários agendados, um por semana para acompanhamento e cumprimento da técnica para reequilíbrio dos chakras. Os horários são organizados conforme agenda disponível das terapeutas, e informados ao paciente juntamente com um lembrete dos seus horários. Em uma maca disponível na sala da UBS Promorar, o espaço também fica destinado à aplicação da técnica que ocorre, duas vezes por semana. Em um ambiente com essências para harmonização do local e uma música que favorece a concentração e a meditação, o paciente em decúbito dorsal e confortavelmente orientado pelas terapeutas, darão inicio a técnica que consiste em imposição de mãos nos sete chakras básicos (coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, plexo solar, básico e o raiz). Ao findar de cada sessão é orientado o paciente sobre Reiki e possíveis efeitos colaterais, que podem fazer parte do processo de reequilíbrio e autoconhecimento. Na ultima sessão o questionário é reaplicado para comparar os dados de acordo com os efeitos observados. Essa análise, sendo de muita importância para comprovar os resultados que a terapia oferece no favorecimento a qualidade de vida. Aos poucos a Reikiterapia está sendo aceita pelos usuários e profissionais da saúde, e vem contribuíndo com mudanças positivas e significativas relacionas à qualidade de vida dos mesmos, que usufruírem desta Prática Integrativa Complementar, ficando comprovado ao término das quatro sessões analisadas no momento da reaplicação do questionário. E cabe aos terapeutas reikianos prosseguir com o projeto de extensão, estimulando o apoio entre a equipe multiprofissional e a Estratégia em Saúde da Família.A terapêutica reiki demonstrou ser efetiva enquanto resultados complementares ao cuidado, os profissionais buscam qualificação, porém há pouco incentivo a educação permanente dos mesmos, além disso há preconceitos enquanto a temática das práticas integrativas e complementares ao cuidado, pois o modelo biomédico ainda está na cultura da saúde. Trabalhar as práticas e compartilhar seus resultados, ampliam o processo do cuidado de saúde e doença, respeitando a autonomia do sujeito.

Palavras-chave


Reiki na Atenção Primária; Reiki no SUS; Praticas Integrativas e Complementares



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC