Projeto de Extensão Universitária: Atuação do enfermeiro da atenção básica frente aos dependentes químicos e seus familiares.

Larissa Rizzi Souza de Oliveira, Renata Rosana da Silva, Silvia Regina Moraes

Resumo


A dependência química é uma doença atual considerada um problema de saúde pública, devido aos altos índices de pessoas vivendo à mercê do uso abusivo de álcool e/ou outras drogas e precisando de auxílio para buscar uma boa qualidade de vida. Mesmo sendo cada vez mais presente na sociedade, ainda há o preconceito de algumas pessoas frente a esta doença, encarando o dependente como único responsável pela sua situação, e, por conta disso, cabe-lhe retornar aos padrões sociais aceitáveis por sua própria conta, caso contrário será excluído da sociedade, sendo considerado um desperdício, dentro desta visão. O profissional de enfermagem deve saber acolher este dependente químico ou familiar, realizando escuta qualificada, consulta de enfermagem, trabalho em rede, sendo estes assuntos primordiais para discussão cotidiana entre os profissionais, incluindo relatos de angústias e experiências para que ampliem seu conhecimento e possam dar uma assistência integral e de qualidade a estes indivíduos. O projeto surge de inquietações das acadêmicas no decorrer da sua trajetória estudantil, sobre a forma de atuação do enfermeiro em relação aos dependentes de álcool e/ou outras drogas e seus familiares. Trata-se de um projeto de extensão, visando educação permanente com os enfermeiros das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da Secretaria de Saúde de um município da Serra Catarinense. Tem como objetivo geral sensibilizar os enfermeiros das UBSs a ampliarem seu conhecimento sobre acolhimento e assistência integral ao dependente químico e seus familiares, visando especificamente promover uma educação em saúde, relacionada à dependência química, redução de danos, escuta qualificada, redes de atenção existentes no município e no final, realizar um “feedback” com os profissionais. Tendo em vista que, são aproximadamente 49 enfermeiros, estes serão divididos em dois grupos, portanto acontecerão dois encontros para que a capacitação possa abranger todos os profissionais, ficando mais proveitosa a educação permanente. O projeto ocorrerá de agosto a novembro de 2017, realizado pelas acadêmicas de enfermagem do oitavo semestre do curso de Enfermagem da Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC, em auditório da Secretaria Municipal de Saúde. Durante este período haverá a participação em uma reunião de gestores para apresentação do projeto e estabelecimento de vínculo com os enfermeiros. Além disso, as acadêmicas vão participar de alguns grupos que estejam ocorrendo na rede, a fim de adquirirem conhecimento sobre como é trabalhada a dependência química nestes locais para, posteriormente, trazer suas considerações na educação permanente com os enfermeiros. Espera-se com este projeto de extensão que os enfermeiros da atenção básica conheçam os aspectos gerais da dependência química, realizem o acolhimento e criem um vínculo com o dependente de álcool e/ou outras drogas e sua família antes de encaminhá-lo a serviços especializados. E que estes profissionais conheçam como é o trabalho de redução de danos, atuem de forma integral, saibam que podem e devem utilizar a rede de apoio para o bem-estar e qualidade de vida dos toxicodependentes e seus familiares, sem que estes deixem de ter vínculo com o profissional na UBS.

Palavras-chave


Dependência química; enfermagem; atenção básica; educação permanente.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC