HEALTH PROFESSIONAL EDUCATION IN PATIENT SAFETY SURVEY: INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTO, HABILIDADES, E ATITUDES SOBRE SEGURANÇA DO PACIENTE

Brenda Paim, Valéria Pires de Souza Branco, Natália i Veronez da Cunha Bellinat, Juliana Cristina Lessmann Reckziegel, Anelise Masiero

Resumo


Objetivo: identificar na literatura nacional e internacional, os estudos que utilizaram o HEALTH PROFESSIONAL EDUCATION IN PATIENT SAFETY SURVEY (H-PEPSS) como ferramenta para avaliação de conhecimentos e competências na educação profissional em saúde. Metodologia: trata-se de uma pesquisa bibliométrica. A busca foi realizada nas base de dados: Science Direct, PubMed, Google acadêmico, BIREME, Scielo, LILACS e IBECS. Utilizou-se como palavra-chave “H-PEPSS”. Para seleção considerou-se como critérios de inclusão artigos: publicados entre os anos de 2010 e 2017, nos idiomas inglês, espanhol e português, e que usaram o H-PEPSS como instrumento de pesquisa.Resultados: Foram encontrados 11 artigos sobre segurança do paciente que utilizaram o H-PEPSS. Mais da metade dos estudos encontrados foram realizados no Canadá e, publicados na língua inglesa. O instrumento já foi traduzido para o francês, italiano e árabe. Considerando todos os estudos o instrumento foi aplicado em mais de 7 mil indivíduos, estudantes de enfermagem, medicina e farmácia. Dentre os principais resultados da avaliação pelo H-PEPSS destaca-se que a principal insegurança relatada pelos participantes é o trabalho em equipe com outros profissionais da saúde para garantir a segurança do paciente. Um número significativo de estudantes afirmam se sentirem confiantes conforme progridem na formação e se sentem mais confiantes no que aprendem nas aulas práticas. Entretanto, têm dificuldades de questionar pessoas em posição de autoridade, e temem ações que podem sofrer por algum evento adverso, o que contribui para decisão de não informar a ocorrência de eventos adversos. Conclusão: O H-PEPSS caracteriza-se como uma ferramenta importante e de fácil aplicação para avaliar a autopercepção sobre conhecimentos e competências relacionados com a segurança do paciente abordados durante a formação em saúde. Dentre todas as dimensões, as que apresentaram resultados menos satisfatórios foram as relativas ao trabalho em equipe, aspectos socioculturais, fatores humanos e ambientais, dificuldade em questionar decisões ou ações de autoridades e de comunicar eventos adversos. Nesse sentido, fortalecer a formação do trabalho interprofissional em saúde pode ser uma estratégia promissora

Palavras-chave


H-PEPSS; enfermagem; medicina; segurança do paciente



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC