CARDIOPATIAS CONGÊNITAS

Jarbas Franceschi

Resumo


OS DEFEITOS CARDÍACOS CONGÊNITOS (DCC) SÃO DEFINIDOS COMO UMA ANORMALIDADE NA ESTRUTURA E NA FUNÇÃO CARDIOVASCULAR QUE ESTÁ PRESENTE AO NASCER, MESMO QUANDO É DESCOBERTA MUITO MAIS TARDE. AS MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS PODEM RESULTAR, NA MAIORIA DOS CASOS, DA ALTERAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DE UMA DETERMINADA ESTRUTURA NORMAL OU DA POSSIBILIDADE DE NÃO SE DESENVOLVER DE FORMA PLENA, OBTENDO UM DESENVOLVIMENTO INSUFICIENTE E INCOMPLETO A PARTIR DO SEU ESTÁGIO INICIAL¹. OS DCC APRESENTAM ALTA TAXA DE MORTALIDADE NO PRIMEIRO ANO DE VIDA E SUA PREVALÊNCIA VARIA, DEPENDENDO DA POPULAÇÃO ESTUDADA, PODENDO ATINGIR ATÉ 1% NA POPULAÇÃO PÓS-NATAL². DOIS ESTUDOS BRASILEIROS AVALIARAM A PREVALÊNCIA DE DCC EM NASCIDOS VIVOS, IDENTIFICANDO A PRESENÇA DE 5,5:1.000 NASCIDOS VIVOS ENTRE OS ANOS DE 1989 E 1998³ E 9,58:1.000 NASCIDOS VIVOS ENTRE OS ANOS DE 1990 E 20034. ESSAS MALFORMAÇÕES PODEM SER ISOLADAS, PARTE DE ALGUMA SÍNDROME OU RESULTADO DE ALTERAÇÕES GENÉTICAS, COMO DELEÇÕES DE REGIÕES CROMOSSÔMICAS, OU AINDA CAUSADA POR FATORES AMBIENTAIS (USO DE MEDICAÇÕES TERATOGÊNICAS PELA MÃE E INFECÇÕES DURANTE O PERÍODO DA GESTAÇÃO)5. OS DCC SÃO CLASSIFICADOS COMO CIANÓTICOS E ACIANÓTICOS, INDICANDO A PRESENÇA OU NÃO DE COLORAÇÃO AZULADA DA PELE E DAS MUCOSAS EM VIRTUDE DA OXIGENAÇÃO INSUFICIENTE DO SANGUE, E OUTRO BASEADO EM CARACTERÍSTICAS HEMODINÂMICAS, COMO FLUXO SANGUÍNEO PULMONAR AUMENTADO OU DIMINUÍDO, OBSTRUÇÃO DE FLUXO SANGUÍNEO FORA DO CORAÇÃO E FLUXO SANGUÍNEO MISTO6. ENTRE OS DCC ACIANÓTICOS MAIS FREQUENTES ESTÃO A COMUNICAÇÃO INTERATRIAL (CIA), A COMUNICAÇÃO INTERVENTRICULAR (CIV), O DEFEITO DO SEPTO ATRIOVENTRICULAR TOTAL (DSAVT) OU PARCIAL (DSAVP), ESTENOSE AÓRTICA (EA), A PERSITÊNCIA DO CANAL ARTERIAL (PCA) E A COARTAÇÃO AÓRTICA (COA)7. OS DCC CIANÓTICOS ESTÃO RELACIONADOS A MAIOR POTENCIAL DE GRAVIDADE OIS OCASIONA REDUÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE HEMOGLOBINA NO SANGUE ARTERIAL, A MAIS COMUM É A TETRALOGIA DE FALLOT (T4F), CORRESPONDENDO A 10% DE TODAS AS CARDIOPATIAS7. A PREVENÇÃO DOS DCC INICIA PELOS MÉDICOS QUE TRATAM MULHERES GRAVIDAS CONHECEREM OS TERATOGÊNICOS, BEM COMO OS FÁRMACOS E O DESENVOLVIMENTO RENAL FETAL, QUE PODEM EXERCER UMA INFLUÊNCIA NOCIVA FUNCIONAL EM VEZ DE ESTRUTURAL SOBRE O CORAÇÃO E A CIRCULAÇÃO DO FETO E DO RECÉM-NASCIDO. O OBJETIVO DESTA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA É DESCREVER O QUE É O DEFEITO CARDÍACO CONGÊNITO, APRESENTANDO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS NACIONAIS E AS PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIAS, BOM COMO O MÉTODO DE PREVENÇÃO. O MÉTODO PARA COLETA DAS INFORMAÇÕES FOI FEITO ATRAVÉS DA ANÁLISE DE LIVROS TÉCNICOS E REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DE PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS VOLTADAS TANTO PARA A ÁREA DA CARDIOLOGIA, QUANTO PARA A ÁREA DA PEDIATRIA. CONCLUÍMOS ASSIM QUE DENTRE OS DCC OBSERVADOS A CIA, CIV, DSAVT, DSAVP, EA, PCA, COA E T4F SÃO AS PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES E QUE POSSUIR UM CONHECIMENTO MAIOR SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS PATOLÓGICAS DA DOENÇA CARDÍACA CONGÊNITA E SUA ETIOLOGIA SÃO FUNDAMENTAIS PARA O APRIMORAMENTO DOS MÉTODOS DE PREVENÇÃO, COMO POR EXEMPLO, A DETECÇÃO DAS ANORMALIDADES GENÉTICA DURANTE A VIDA FETAL E A NÃO PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS TERATOGÊNICOS OU QUE SEU POTENCIAL TERATOGÊNICO SEJA DESCONHECIDO POR PARTE DOS MÉDICOS.

Palavras-chave


Doença Cardíaca Congênita; Cardiopatias; Anormalidades Cardíacas Congênitas



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC