MÃOS LIMPINHAS: EDUCAÇÃO AMBIENTAL DAS FAMÍLIAS DE CATADORES DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS.

Eduarda Ugioni Sachet, Marina Patrício de Arruda

Resumo


Introdução: Considera-se que as políticas de saúde nem sempre provocam as mudanças desejáveis e articuladas às necessidades da populaçãopois, geralmente, seguem marcadas por desigualdades sociais e escassez de recursos públicos para financiamento desse setor. Nesse sentido,a reedição deste projeto de pesquisação se justifica com base na necessidade de propostas locais que orientem o controle de parasitose.Tendocomo foco as famílias de catadores de resíduos sólidos urbanos, esse projeto investiu em uma educação sanitária cuja prática educativa pode levar esta população à construção de hábitos que promovam a saúde e evitem a doença.Este tipo de educação visa conscientizar as populações com menor grau de instrução e com menor poder aquisitivo, principalmente residentes nas periferias das cidades, da importância da prevenção de doenças, contribuindo e orientando para uma forma adequada de higiene indispensável para a melhoria dos índices e indicadores de saúde pública. Considerando que o lixo ainda é um dos grandes problemas socioambientais brasileiros e que, doenças acometem um alto percentual da população humana, principalmente comunidade que vive em condições sanitárias e ambientais favoráveis para sua evolução e propagação, questiona-se “Como a educação ambiental pode se constituir em conhecimento para as famílias de catadores de resíduos sólidos urbano?” Objetivo Geral: Sensibilizar as famílias de catadores de resíduo sólido urbano por meio da educação ambiental. Metodologia: A pesquisação foi a proposta metodológica adotada por tratar-se, de uma ação educativa, decaráter participativo e por promover a capacidade de iniciativa transformadora dos grupos. Essa pesquisação envolveu um trabalho educativo e preventivo com as famílias de catadores de lixo levando-as arefletir sobre o cuidado com o meio ambiente e a relação entre higiene e saúde. As atividades realizadas pelabolsista incluíram; visitas às famílias e elaboração do material educativo para orientação das mesmas. Essa pesquisação foi aprovada pelo CEP sob o parecer de nº 2.098.280. Considerações provisórias: Durante a pesquisa pudemos vivenciar situações e fatos que contribuíram para ampliar nossa reflexão acerca da importância de boas práticas sócio ambientais. As orientações e o selo que distribuímos para as carroças que transportam os resíduos sólidos pelo bairro podem contribuir para uma relativa diminuição na transmissão e contágio de doenças. Outra atividade realizada com o apoio do GESPESVIDA (Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação, Saúde e Qualidade de Vida), na Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC), se deu por meio do acolhimento das famílias de catadores para a realização de oficinas sobre descarte de lixo, preservação do meio ambiente e educação ambiental.

Palavras-chave


Projeto Itinerante Mãos Limpinhas; Famílias de Catadores; Combate à parasitose; Educação ambiental.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC