O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO NA FORMAÇÃO EM FISIOTERAPIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Emille Christina Vieira, Aline Correa Ortiz, Débora Hinckel de Souza, Caroline Bertuol Dacoregio, Patricia Rengel, Edina Muniz Boaventura da Silva, Nayara Lisboa Almeida, Dhébora Mozena Dall’Igna

Resumo


O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET/GRADUASUS) é uma iniciativa que viabiliza a inclusão de acadêmicos no Sistema Único de Saúde (SUS), e torna possível a interação dos profissionais de saúde durante a graduação, compartilha vivências do cotidiano e incentiva publicações de trabalhos e divulgação de relatos, o que favorece a formação de profissionais comprometidos com a realidade em saúde, transforma o olhar acadêmico, corrobora para o cuidado humanizado, integral, não mais voltado a uma percepção individual, de curativismo e tecnicismo. O programa também reflete nas abordagens práticas do processo ensino-aprendizagem em saúde. Orienta os acadêmicos quanto à qualidade da assistência no SUS, almeja mudanças na formação e quebra paradigmas no confronto com a teoria em sala de aula. Propõe vivenciar realidades e abordagens não muito comuns no curso de Fisioterapia, com o desenvolvimento de ações de promoção à saúde da população e atuação com equipe interdisciplinar. Este trabalho tem como objetivo descrever as experiências vividas no PET/GRADUASUS, refletindo aspectos potenciais na formação em Fisioterapia. O trabalho trata de um relato de experiência de caráter descritivo, com o objetivo de compartilhar experiências vivenciadas no PET/GRADUASUS por acadêmicas do Curso de Graduação em Fisioterapia da Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). As atividades são desenvolvidas com carga horária de 8 horas semanais, na realização das atividades são utilizadas metodologias ativas para ensino-aprendizagem, envolvendo as necessidades do município. As acadêmicas bolsistas além de desenvolver atividades escritas, participam também de ações em seu campo de atuação, respeitando as atribuições do programa, destacando-se: a responsabilidade das acadêmicas de registrar em seu diário de campo atividades de trabalho desenvolvidas, desenvolver atividades de acordo com o cronograma estabelecido, participar de reuniões das equipes de trabalho, participar de campanhas de Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças instituídas pela Secretaria de Saúde do município. O projeto oportuniza aos envolvidos uma formação diferenciada, na linha da integralidade da atenção e do cuidado, da educação permanente e interdisciplinaridade. Estas oportunidades de formação devem ser multiplicadas para que haja a concretização dos princípios do SUS durante a graduação. A participação neste programa contribui de forma significativa na formação profissional, visto que o contato primário das acadêmicas com a atenção básica é primordial, pois possibilita conhecimento teórico-prático da atuação do profissional fisioterapeuta nos cenários do SUS, propõe qualificação em saúde e troca de experiências. O projeto tem alcançado resultados efetivos na sensibilização do aluno para uma nova prática em saúde. Pretende-se, ainda, aperfeiçoar as atividades desenvolvidas pelos membros do PET, para atuar cada vez mais em padrões de qualidade e excelência, por meio de grupos de aprendizagem coletiva e interdisciplinar. Apesar de enfrentar numerosas dificuldades na construção do SUS nas universidades, e controvérsias por parte do município entre o que seria ideal e a realidade estabelecida, o programa tem uma potencialidade transformadora da realidade ensino-serviço-comunidade, é valioso na formação do profissional em saúde e fundamental na redução dos problemas sociais existentes.

Introdução: O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET/GRADUASUS) é uma iniciativa que viabiliza a inclusão de acadêmicos no Sistema Único de Saúde (SUS), e torna possível a interação dos profissionais de saúde durante a graduação, compartilha vivências do cotidiano e incentiva publicações de trabalhos e divulgação de relatos, o que favorece a formação de profissionais comprometidos com a realidade em saúde, transforma o olhar acadêmico, corrobora para o cuidado humanizado, integral, não mais voltado a uma percepção individual, de curativismo e tecnicismo. O programa também reflete nas abordagens práticas do processo ensino-aprendizagem em saúde. Orienta os acadêmicos quanto à qualidade da assistência no SUS, almeja mudanças na formação e quebra paradigmas no confronto com a teoria em sala de aula. Propõe vivenciar realidades e abordagens não muito comuns no curso de Fisioterapia, com o desenvolvimento de ações de promoção à saúde da população e atuação com equipe interdisciplinar. Objetivo: Este trabalho tem como objetivo descrever as experiências vividas no PET/GRADUASUS, refletindo aspectos potenciais na formação em Fisioterapia. Método: o trabalho trata de um relato de experiência de caráter descritivo, com o objetivo de compartilhar experiências vivenciadas no PET/GRADUASUS por acadêmicas do Curso de Graduação em Fisioterapia da Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). As atividades são desenvolvidas com carga horária de 8 horas semanais, na realização das atividades são utilizadas metodologias ativas para ensino-aprendizagem, envolvendo as necessidades do município. As acadêmicas bolsistas além de desenvolver atividades escritas, participam também de ações em seu campo de atuação, respeitando as atribuições do programa, destacando-se: a responsabilidade das acadêmicas de registrar em seu diário de campo atividades de trabalho desenvolvidas, desenvolver atividades de acordo com o cronograma estabelecido, participar de reuniões das equipes de trabalho, participar de campanhas de Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças instituídas pela Secretaria de Saúde do município. Resultados e Discussão: o projeto oportuniza aos envolvidos uma formação diferenciada, na linha da integralidade da atenção e do cuidado, da educação permanente e interdisciplinaridade. Estas oportunidades de formação devem ser multiplicadas para que haja a concretização dos princípios do SUS durante a graduação. A participação neste programa contribui de forma significativa na formação profissional, visto que o contato primário das acadêmicas com a atenção básica é primordial, pois possibilita conhecimento teórico-prático da atuação do profissional fisioterapeuta nos cenários do SUS, propõe qualificação em saúde e troca de experiências. O projeto tem alcançado resultados efetivos na sensibilização do aluno para uma nova prática em saúde. Pretende-se, ainda, aperfeiçoar as atividades desenvolvidas pelos membros do PET, para atuar cada vez mais em padrões de qualidade e excelência, por meio de grupos de aprendizagem coletiva e interdisciplinar. Conclusão: Apesar de enfrentar numerosas dificuldades na construção do SUS nas universidades, e controvérsias por parte do município entre o que seria ideal e a realidade estabelecida, o programa tem uma potencialidade transformadora da realidade ensino-serviço-comunidade, é valioso na formação do profissional em saúde e fundamental na redução dos problemas sociais existentes.

Palavras-chave


Sistema Único de Saúde; Educação em Saúde; Atenção Básica.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC