Aplicativo de economia colaborativa para aluguel de vestimentas de atelieres e pessoas para pessoas (B2C2C)

Giorgi Filipi Coelho D'ávila

Resumo


Milhões de festas ocorrem anualmente no mundo todo, gerando uma grande demanda para o mercado de roupas. Entretanto, muitas dessas peças de roupas que são compradas para uma determinada festa, ficam esquecidas dentro do guarda-roupas, gerando acúmulos desnecessários e, após um período, dependendo de seu estado, são jogadas fora causando um impacto ambiental. Hoje, a economia que perpetua é baseada na compra e venda de bens, porém, há um novo conceito de economia que está sendo bastante difundido, chamado de economia colaborativa e que está sendo adotada cada vez mais pelas populações dos países de primeiro mundo. A economia colaborativa vem de encontro com a redução da compra e venda, valorizando o colaborativismo (troca, empréstimo, aluguel), reduzindo a quantidade de descartes no meio ambiente, pois valoriza uma necessidade momentânea e não um desejo capitalista. Então, dentro do mercado de roupas, existe um agente que trabalha aliado à economia colaborativa, que é o atelier, empresa que realiza aluguéis de roupas, geralmente formais. Entretanto, o processo de aluguel não é dinâmico, pois é um mercado antigo e que depende de tempo para encontrar uma roupa. Porém, mesmo assim, o número de roupas compradas e que ficam guardadas no guarda-roupa não diminuem. Observando esses aspectos, idealizou-se uma plataforma mobile e web, que utilizando os conceitos de economia colaborativa e de aluguéis de roupas, permitirá que pessoas aluguem suas roupas para outras pessoas, gerando uma nova fonte de renda extra, valorizando as roupas que estavam guardadas perdendo valor de mercado. Portanto, com o objetivo de validar a ideia, foi realizado uma pesquisa quantitativa com estudantes da UNIPLAC utilizando um formulário que foi aplicado por e-mail e via oral. Finalizada a pesquisa, outro objetivo foi analisar os resultados, o que permitiu visualizar que grande parte dos entrevistados compactuaram com a ideia. Então, o objetivo principal neste momento é desenvolver um MVP (Produto Mínimo Viável) e testá-lo com alguns usuários. Após os testes, o próximo passo será introduzir a plataforma no mercado de formaturas de Lages e então expandir para o Brasil.

Palavras-chave


economia colaborativa; atelieres; MVP; plataforma; renda extra



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC