Desacolhimentos por Maioridade

Audrilara Arruda Campos

Resumo


O presente estudo propõe abordar os desacolhimentos por maioridade, uma vez que na realidade dos serviços de acolhimento institucional para crianças e adolescentes, existem adolescentes prestes a completarem a maioridade e que serão obrigatoriamente desacolhidos, considerando os aspectos legais vigentes. Essa questão gera preocupação para os serviços no processo de construção de autonomia desse jovem pois é necessário uma rede de apoio ampla para que este não tenha novamente seus direitos violados. A situação elencada é bastante complexa pois este adolescente estará em um processo de transição de um espaço de proteção para posterior aos 18 anos, gerir sua vida.

Nesse sentido, gera inquietudes ao refletir as dificuldades que jovem pode enfrentar na sua vida adulta, visto que já teve um histórico de violação de direitos, dentre eles o de não ter a oportunidade da convivência familiar. Para que se consiga estabelecer uma vida com dignidade, é necessário acessar direitos que contemplem as suas necessidades. Nessa linearidade, o estudo tem por objetivo identificar as facilidades e fragilidades que os adolescentes desacolhidos do Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes. Busca-se ainda, verificar se esses estão inseridos no mercado de trabalho, verificar a percepção dos adolescentes que foram desacolhidos em relação aos encaminhamentos realizados pelo Serviço de Acolhimento durante o processo desacolhimento, bem como averiguar as facilidades e os desafios que os adolescentes encontraram após serem desacolhidos, na visão da equipe técnica do serviço. Com relação à forma de abordagem a pesquisa será qualitativa e quanto aos procedimentos técnicos utilizados a pesquisa será de campo e bibliográfica. Os sujeitos da pesquisa serão os jovens que foram desacolhidos do Serviço de Acolhimento entre os anos de 2015 e 2017, e as Equipes Técnicas do serviço. O instrumento de pesquisa utilizado para coleta de dados será entrevista. No que tange a coleta e registro serão analisados os arquivos disponibilizados pelo SAICA para efetuar o contato com os jovens. Após efetivação do contato será agendada a entrevista no respectivo CRAS de território de abrangência do atual endereço do jovem. Referente a entrevista com as Equipes Técnicas do SAICA, essa será realizada dentro do próprio espaço do serviço. Com as entrevistas realizadas, os dados obtidos serão organizados através de categorias de análise. Os dados obtidos através da entrevista serão analisados por meio de análise de conteúdo. Enfatiza-se que quanto aos procedimentos éticos os sujeitos da pesquisa participarão da pesquisa através da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Através dessa pesquisa, busca-se proporcionar novas reflexões em relação as intervenções do serviço de acolhimento institucional para crianças e adolescentes;

A partir dessas reflexões, busca-se o aprimoramento das ações interventivas das equipes técnicas em relação a construção do processo de autonomia e preparo desse adolescente para a vida adulta.

Palavras-chave


Maoiridade; Desacolhimento; Serviço de Acolhimento Institucional



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC