CONTAÇÃO DE HISTÓRIA EM ESPAÇO DE EDUCAÇÃO NÃO FORMAL

Fabiana De Jesus Atanasio Salomon, SADI RICARDO DA SILVA BASTOS, DAIANE BIRK DA SILVA

Resumo


A educação formal é oferecida exclusivamente por escolas, com um sistema regular e com profissionais qualificados, que seguem horários estipulados e conteúdos pré- determinados. Tem por obrigatoriedade atender a sociedade, garantir a todos o direito a educação. Percebe-se que a educação formal no Brasil, não abrange todos os campos de educação necessários para o desenvolvimento de uma sociedade. Nesse sentido a educação não formal que é proporcionada voluntariamente por ONGs, programas sociais públicos, privados entre outros, procura estratégias para suprir o déficit da educação. A educação não formal, não segue modalidades ou níveis, é um campo de conhecimento em expansão que busca construir aprendizagens sociais, visando o alargamento dos valores e o respeito às diferenças e ainda possibilita ao sujeito aprender e ensinar além dos muros da escola. A contação de história no espaço não formal de educação, pode ser uma ferramenta poderosa no reconhecimento da realidade, capaz de qualificar o caráter da educação, envolvendo os participantes e dando sustentabilidade ao aprendizado. Sendo assim, busca-se compreender, quais as contribuições da contação de histórias como estratégia de ensino no processo de aprendizagem? Como a contação de histórias fomenta a aprendizagem da leitura e da escrita? O estudo tem como objetivo geral: compreender a importância da contação de histórias, como estratégia de ensino da leitura e da escrita dos sujeitos inseridos nos espaços não formais de educação do município de Lages-SC. Elencou-se como objetivos específicos: Observar se é realizado contação de histórias como prática pedagógica; perceber se as habilidades de leitura e escrita são desenvolvidas através da contação de histórias; relacionar as ações pedagógicas desenvolvidas no espaço não formal de educação. Nesse projeto que está em andamento será feita uma pesquisa de campo de cunho exploratório, para conhecer, compreender e aumentar a familiaridade com o assunto. Os sujeitos de pesquisa serão os coordenadores/educadores, crianças e adolescentes que estão inseridos nos espaços de educação não formal do município de Lages-SC. Como técnicas de coleta de dados, será utilizado o questionário aos coordenadores/educadores das Instituições. Bem como observação participante da rotina e das atividades desenvolvidas pelos integrantes dos espaços visitados. O projeto encontra-se em andamento, tramitando junto ao CEP e aguarda o parecer de aprovação. Espera-se com essa pesquisa inferir resultados que possibilitem compreender a contação de histórias em espaços de educação não formal como estratégia para a apropriação da leitura e da escrita. É possível perceber, por meio do referencial teórico que contar histórias possibilita a ampliação dos conhecimentos, instiga a imaginação, explora novos mundos, leva o sujeito a criar e recriar novos cenários. As experiências vivenciadas nas histórias estimulam o gosto pela leitura e facilitam a produção de uma escrita criativa, organizada, rica em fatos. Além de ajudar os sujeitos na compreensão da realidade a sua volta.

Palavras-chave


Educação não formal; Contação de história; Aprendizagens sociais; Leitura e escrita.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC