O RPG COMO FERRAMENTE PROMOTORA DE ESCRITA E AUTORIA

Altamir Guilherme Wagner, Vanice dos Santos

Resumo


Este trabalho tem por objetivo apontar as pesquisas que abordaram o jogo de interpretação de personagem (roleplaying game) e suas contribuições para a educação básica. Para tal, fizemos um estado da arte para elencar as principais obras presentes na área. Desde relatos de experiência até teses de doutorado e livros de prática que abordam o RPG como uma ferramenta que pedagógica para aprimorar o processo de ensino e aprendizagem. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica (SEVERINO, 2014), realizada em sites como: Google acadêmico, plataforma Sucupira e Scielo. Um dos maiores nomes desta área é Sonia Rodrigues, com seu livro Roleplaying Game e a pedagogia da imaginação no Brasil (2004). É a primeira tese de doutorado na área no país, e é até hoje citada em praticamente todos os trabalhos encontrados. Foi realizada entre os anos de 1992 e 1997. Neste livro, a autora aborda os diferentes tipos de RPG existentes e seus modos de produção. Mostra, também, alguns pontos sobre a construção das narrativas dos jogos de criar histórias e de representação de personagens. Outro trabalho de grande importância para nossa pesquisa foi a disertação de mestrado – que virou livro – de Andréa Pavão (2000), A aventura da leitura e da escrita entre mestres de roleplaying game. A pesquisa consiste em um estudo etnográfico dos sujeitos jogadores de RPG. Ela aborda a construção intelectual dos jogadores e dos mestres de RPG, fala dos seus respectivos papeis no jogo, e relata como se dá a formação autodidata dos mestres de RPG no contexto da criação narrativa das aventuras que serão jogadas pelos jogadores. Em 2003 foi realizado em São Paulo o I Simpósio de RPG e Educação, organizado pela Associação LUDUS CULTURALIS. Esta obra aborda o jogo de representação em diferentes aspectos da Educação Básica. Desde sua premissa fundamental, que é o lazer, até o uso do RPG como uma construção interdisciplinar do conhecimento no ensino dos temas transversais, a transformação de conteúdos curriculares em narrativas, nas aulas de Geografia e História e para a solução de problemas de leitura. Ou seja, o livro é um apanhado de práticas docentes que utilizaram de alguma forma o RPG na Educação. Outra obra importante é o livro de práticas do professor e psicólogo Alfeu Marcatto (1996). Além de definir as características principais do RPG, ele também elabora e disponibiliza uma lista de aventuras prontas para as diferentes áreas do ensino.

Palavras-chave


Roleplaying game; leitura; escrita; autoria



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC