A MUSICA COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA PESSOAS AUTISTAS

Ermelinda Schemes Oliveira, Simone Aparecida Moreira da silva Pigozzi, Lurdes Caron

Resumo


RESUMO: A música possui a capacidade de mover o ser humano tanto a nível físico, como a nível psíquico, pode ser usada como terapia. É um recurso importante, uma vez que é capaz de produzir sensações positivas, já que libera no cérebro humano a produção de endorfina, hormônio que responsável pela sensação de bem-estar. Algumas pesquisas mostram que ao receber um estímulo musical, muitos trabalhadores tendem a produzir mais e de maneira mais satisfatória. As pessoas autistas apresentam particularidades que precisam ser respeitadas e a música para estas, serve como uma ponte de comunicação possível. A música para a pessoa autista atinge as funções emocionais e em seguida as funções físicas quando estas conseguem marcar o ritmo da música fazendo com que interajam com o mundo que as rodeia. Atividades que envolvam música, podem contribuir de uma forma bastante acentuada para o reforço no desenvolvimento no nível de cognição, comunicação e linguagem, ao nível da socialização e ao nível da psicomotricidade. Este artigo traz reflexões com relação a musicoterapia no trabalho pedagógico com pessoas autistas. Traz como objetivo compreender a musicoterapia como possibilidade e ferramenta pedagógica direcionada para essas pessoas. O trabalho realizado trouxe referência e considerações importantes dos autores Cunha, Arruda, Miranda, Matos e outros, que defendem a música e seus benefícios para àqueles que fazem dela uma terapia. Revelou que a música faz parte da humanidade desde muito cedo, estando presente em manifestações religiosas, festividades pois o som que ela proporciona serve para amenizar sentimentos, manifestar emoções, como estímulo em diversas atividades e serve para o desenvolvimento global do indivíduo. As pessoas autistas exigem um tratamento diferenciado, pois reagem de forma diversa das demais aos estímulos recebidos do meio. Além disso, uma das características do autista é que desenvolvem os cinco sentidos – olfato, paladar, tato, visão e audição – de maneira mais aguçada que as demais. Assim, a música é um meio possível para estabelecer uma comunicação com estas pessoas, fazendo com que elas desenvolvam inclusive a linguagem. A musicoterapia, surge como um viés capaz de sensibilizar e acalmar as pessoas com autismo, estabelecendo inclusive vínculos que inexistem em seu cotidiano.

Palavras-chave


musica; pessoas autistas; comunicação; socialização.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC