Discurso, manipulação, violência e política: os núcleos do Hamas

Paloma Borges Pietro

Resumo


A presente pesquisa analisa o discurso de Khaled Meshaal, o líder histórico do Hamas – Movimento de Resistência Islâmica, enquanto uma estratégia de naturalização da violência política. Sendo assim, investiga-se quais são os recursos linguísticos e semióticos, empregados no texto do chefe extremista, que contribuem para a manipulação da sociedade palestina e, deste modo, estimulam a inserção dos cidadãos na guerra santa. Dessa forma, objetiva-se verificar se o grupo fundamentalista legitima, por meio do discurso, a guerra, o ataque suicida e a resistência como meios de alcançar objetivos políticos. Além disso, almeja-se identificar as estratégias manipulativas da fala do extremista, conhecer o contexto histórico do conflito Israel-Palestina e, assim, comprovar que o Hamas é, sobretudo, uma organização política e não religiosa. Tem-se, no entanto, de destacar ainda que este estudo é essencial para reformular as políticas existentes de combate e prevenção do terrorismo, já que estuda o Movimento de Resistência Islâmica do ponto de vista político e não religioso. Afasta-se, portanto, a imagem de grupo irracional e fanático, comumente propagado pela mídia, que impede a formulação de uma política adequada de combate ao extremismo. Além disso, o estudo é relevante para demonstrar que a figura de líderes venerados e manipuladores, que controlam o discurso e levam a população a legitimar e cometer atrocidades, não é exclusividade de regimes totalitários, pois podem ser encontrados em sociedades democráticas como a Palestina. Trata-se, portanto, de uma pesquisa bibliográfica, que examina o texto da organização e a figura do líder populista e persuasor sob a perspectiva da Análise Crítica de Discurso – ACD e da Semiótica. Em resumo, este trabalho demonstra como a política e o discurso são instrumentos que, se empregados para benefício próprio, como na Palestina, deturpam a democracia e enaltecem o autoritarismo, mas também revela como a alocução manipulativa do Hamas organiza a vida social e individual dos mulçumanos, fazendo-os abdicar do maior direito do homem: a vida.

Palavras-chave


Hamas; Discurso; Manipulação; Violência Política



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC