A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CRAS

MILENE ELISABETE VIEIRA FERNANDES, AUDRILARA ARRUDA RODRIGUES CAMPOS, JANAINA DUARTE

Resumo


Introdução: Este relato objetiva apresentar a vivência de estágio curricular, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), no município de Vacaria/RS, observando-se a rotina dos assistentes sociais que prestam serviço neste equipamento, considerado a porta de entrada do Sistema Único de Assistência Social – SUAS, responsável por operacionalizar a Proteção Social Básica aos usuários deste serviço. A efetivação deste estágio teve como principal objetivo a experiência prática, por meio da observação participante, diálogos reflexivos e posteriormente, realização de Diagnóstico Socioinstitucional e aplicação de Projeto de Intervenção. Dentre os serviços ofertados neste equipamento, estão o PAIF – Programa de Atenção Integral à Família e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV, os quais objetivam, no âmbito da Proteção Social Básica, operar na prevenção de situações de vulnerabilidade social, prevenir a ruptura de laços familiares e proporcionar o fortalecimento de vínculos familiares, sociais e comunitários.Objetivo: Conhecer a atuação do Assistente Social no Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. Método de Intervenção: O CRAS é um local público, localizado preferencialmente em áreas com maior índice de vulnerabilidade social, onde são disponibilizados os serviços de Assistência Social, com o objetivo de fortalecer a convivência familiar e comunitária, promovendo a organização e articulação das unidades da rede socioassistencial e de outras políticas. Com isso, torna-se uma referência para acesso da população local aos serviços, benefícios e projetos de assistência social. Ao Assistente Social inserido no CRAS, compete, articulado aos demais profissionais, intervir nas demandas que surgem no seu cotidiano profissional, superando as situações de risco e vulnerabilidade social, almejando a garantiados direitos de seus usuários, bem como a autonomia e empoderamento das famílias. Portanto, acredita-se que a atuação do assistente social, por meio dessas ações, contribui para o fortalecimento da garantia de direitos da população atendida. Considerando que a perspectiva teórica adotada potencializa a realização de um trabalho em conformidade com as diretrizes da Política Nacional de Assistência Social (PNAS). Considerações: A vivência do estágio no CRAS possibilitou relacionar a teoria à prática, efetuada diariamente pelo profissional que atua na prestação de serviços socioassistenciais. O encontro com esta realidade impõe o confronto da realidade imaginada e a realidade de fato, onde é possível identificar o papel interventivo e propositivo do Assistente Social frente aos desafios impostos, tendo por finalidade acompanhar as famílias referenciadas a ele, realizar as articulações e encaminhamentos à rede socioassistencial. Atuando juntamente a outros profissionais, compondo uma equipe multiprofissional e interdisciplinar. Foi possível ainda, identificar os instrumentais que são utilizados pelo profissional em suas intervenções, tais como: visita domiciliar, escuta qualificada, encaminhamentos, elaboração de relatórios, dentre outros competentes à práxis profissional.

Palavras-chave


Serviço Social; CRAS; Estágio; Assistência Social; Estágio



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC