GÊNERO E EDUCAÇÃO INFANTIL

Luciane Cristina Correa, Mareli Eliane Grauppe

Resumo


Este trabalho aborda o tema Gênero e Educação Infantil. Possui como objetivo conhecer como a gênero é trabalhado na Educação Infantil. No decorrer da construção da sociedade foram naturalizados inúmeros ensinamentos a respeito de meninos e meninas pelo olhar da família, escola, igreja e demais instituições. A escola, como espaço educacional, influencia nos papéis sociais de meninos e meninas, quando na brinquedoteca separa brinquedos de menina de um lado e brinquedos de meninos de outro. Os meninos viajam na imaginação, com espaçonaves, carrinhos e bonecos de super-heróis. Às meninas são oferecidas miniaturas de utensílios de cozinha e bonecas. Justifica-se pela necessidade de conhecermos características, atividades, brincadeiras aparentemente naturalizadas, resultantes das atividades pedagógicas desenvolvidas no espaço educacional, ou seja, como se produzem e reproduzem no cotidiano escolar, modos de ser menina e menino. Para atingir o objetivo proposto, realizamos uma pesquisa bibliográfica. Os livros analisados foram: “Um corpo estranho: Ensaios sobre sexualidade e teoria queer” de Guacira Lopes Louro;“ Relações de Gênero nas Brincadeiras de Meninos e Meninas na Educação Infantil”, de Daniela Finco; “Para Educar Crianças Feministas” de Chimamanda Ngoz Adichie e “Brinquedo, Gênero e Educação na Brinquedoteca” de Tisuko Morchida Kshimoto. Os dados foram analisados de acordo com o método de análise de conteúdo de Mayring. O livro “Para Educar Crianças Feministas” (ADICHIE, 2007), nos remete a importância de quebrar tais padrões, em uma perspectiva igualitária. Iniciando com a tarefa simples de distribuir os trabalhos domésticos a toda família, tanto meninos como meninas. Para Kshimoto (2008), no ato de brincar a realidade é internalizada pela criança através da simbolização. Os resultados apontam articulação entre conceitos pesquisados em artigos de Daniela Finco, Guacira Lopes Louro, Chimamanda Ngoz Adichie e Tisuko Morchida Kshimoto com a prática no ambiente escolar, em busca de orientações para o fazer docente. Também, permite identificar os discursos presentes na prática pedagógica, oportunizando entender como as brincadeiras foram naturalizadas com papéis sexuais definidos para meninos e meninas, por meio de normas e padrões.Os dados da pesquisa serão analisados de acordo com o método análise de conteúdo qualitativo. De acordo com Mayring: “O objetivo da explicação deve ser então, considerando o contexto da análise, encontrar uma formulação que fornece uma solução, uma interpretação da passagem do texto em discussão.” (MAYRING, 2007, p. 77 – tradução nossa).Para Flick “a análise de conteúdo é um dos procedimentos clássicos para analisar o material textual, não importando qual a origem desse material”. (2009, p. 291) Este método possui três técnicas de análise de dados: Síntese da análise de conteúdo, análise explicativa de conteúdo e análise estruturadora de conteúdo. Para está pesquisa escolhemos a técnica de análise explicativa de conteúdo.

Palavras-chave


Educação Infantil. Gênero. Prática Pedagógica. Papéis Sociais.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC