A PRAÇA E O ENTORNO – LEIS E PREMISSAS QUE AMPARAM O TOMBAMENTO E O RESGATE DAS PRÁTICAS DE TROCAS E VENDAS A PARTIR DA PRAÇA DO MERCADO E DO ANTIGO MERCADO PÚBLICO MUNICIPAL

Kareenn Cristina Zanela Diener

Resumo


RESUMO

Este artigo traz uma abordagem sobre a ”Praça do Mercado” e do Antigo Mercado Público de Lages, traçando alguns fatos que atestam suas importâncias como fonte histórica, política e social de grande relevância na formação da cidade. Para tanto foi-se delineando os principais valores nos quais estão inseridos, acercando-se ao mesmo tempo das Leis que dão subsídios ao instituto do Tombamento e a consequente proteção e salvaguarda dos Bens Materiais. Estes valores estão embasados nas premissas de Ulpiano Meneses (2009), nas quais elenca as categorias em que estes podem ser enquadrados. Tanto a Praça, quanto o mercado, por serem centrais, foram espaços que estiveram associados a ciclos econômicos de grande importância e que apresentaram um papel essencial na formação da cidade, como elementos que compactuaram e auxiliaram na criação do núcleo urbano, a partir das práticas de comércio e trocas de gêneros. Na década de 60 com a transferência destas práticas para outro local e a retirada do centro, do Mercado Público e a concessão da Praça, para serviços particulares - como resultado da tentativa de modernização da cidade - se perdeu o caráter, tanto simbólico/afetivo, como o caráter público, no sentido mais amplo de apropriação do espaço urbano. (Miranda, 2001). Lidos desta forma, para a retomada, das práticas sociais, faz-se necessário que sejam compreendidos e resgatados os usos originais, que previam a interação do mercado de gêneros, com suas trocas no espaço do entorno, com as práticas sociais (procissões, desfiles e cavalhadas (COSTA,1982) que eram propiciadas neste importante local de congregação de diferentes grupos socioeconômicos, que contribuíram para a não exclusão social. Há portanto, instrumentos legais, que a sociedade e o Estado podem contar para a salvaguarda e preservação dos bens, tanto materiais, como imateriais. Estas normas, podem embasar ações que visam a proteção e conservação do Antigo Mercado Público Municipal e o resgate das práticas de trocas e vendas a partir da “Praça do Mercado” localizado no centro da cidade de Lages.

Palavras-chave


Leis; Patrimônio Cultural; Tombamento; Bens Materiais; Mercado Público.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC