Políticas Públicas de Gênero: uma análise dos currículos de graduação e pós-graduação na cidade de Lages

Iara Menegazzo Guarda, Mareli Eliane Graupe

Resumo


O trabalho sobre as políticas públicas de gênero no campo da educação possui como objetivo identificar se as temáticas de gênero e sexualidades estão contempladas nos Programas de Pós-Graduação em Educação e Graduação na cidade de Lages. É um estudo qualitativo em que foi empregado o método de pesquisa documental. O aporte teórico-metodológico abarca autores/as que escrevem sobre gênero, sexualidades, políticas públicas de gênero, formação de professoras/es, buscando compreender os impactos e as contribuições da inserção dessas temáticas na Estrutura Curricular dos cursos. Na Conferência Nacional da Educação Básica (CONEB) ocorrida em 2008, foi aprovada a incorporação dos estudos de gênero e diversidade nos currículos das licenciaturas, configurando-se como um passo fundamental para a concretização da inclusão dessas temáticas nas IES. Segundo Joan Scott gênero é uma percepção social, cultural e histórica sobre as diferenças sexuais. Gênero pode ser definido como o que identifica e diferencia os homens e as mulheres. Na escola contemporânea professoras/es são desafiados cotidianamente a lidar com alunas/os de diferentes grupos étnicos, culturais, de comunidades de crenças, orientações sexuais e identidades de gênero. A escola é local de encontros e desencontros de pessoas de diferentes culturas, ideias, valores, religiões, classe sociais, de diferentes saberes e experiências, de continuidades e descontinuidades entre a escola e a família. Portanto, se faz necessário buscar conhecer, pesquisar e compreender o processo de mediação entre sujeitos, mundos e saberes. E as instituições de ensino superior estão contribuindo para a formação dessas/e profissional? A educação desempenha um papel importante na construção das identidades de gênero e das identidades sexuais, pois, como parte de uma sociedade que discrimina, ela produz e reproduz desigualdades de gênero, raça, etnia, classe no seu cotidiano escolar. Em síntese, na cidade de Lages encontramos 20 Instituições de Ensino Superior, destas 15 oferecem cursos de licenciatura, e 11 oferecem curso de Pós-graduação em educação. Das 15 instituições que oferecem licenciatura, constatamos que apenas 01 destas oferta na sua Estrutura Curricular temáticas relacionadas à cultura, gênero e sexualidade. Nós cursos de pós-graduação, das 11 Instituições pesquisadas, apenas a UNIPLAC oferece disciplina optativa sobre Gênero, Sexualidade e Diversidade no curso de mestrado em Educação. Os dados apontam que é necessário rever a formação do/a profissional da educação que ainda se encontra embasada numa perspectiva homogeneizadora e linear, em que o currículo priorizava a cultura branca, masculina, cristã e da classe economicamente privilegiada, deixando de abordar na sua concepção curricular, e, no entanto, no cotidiano escolar, as diferentes culturas, gêneros e sexualidades que compõem a diversidade do ser humano.

Palavras-chave


Estrutura Curricular; Educação; Políticas Públicas de Gênero.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC