Espaço de estudo pós atividades curriculares

RENATA MUNIZ ORTIZ, ANA PAULA DE OLIVEIRA, CLOVISSON MENOTTI BOEIRA

Resumo


A escola Cedup Caetano Costa oferece a modalidade de Ensino Médio concomitante com ensino profissionalizante de Técnico em Agropecuária. A biblioteca é um ambiente escolar, no qual os alunos podem realizar os trabalhos, pesquisas e leituras. No entanto, o ensino integral com o sistema de internato os alunos têm horários que não são compatíveis com o horário da biblioteca, sendo que não são oportunizados durante o período de atividades de sala de aula, espaços para a realização dos trabalhos. Em função do expediente dos funcionários da escola coincidir com o período de sala de aula, os alunos tinham como justificativa para não entregarem os trabalhos, sendo que o ambiente da biblioteca era fechado após o horário, e quando estava aberta, eles tinham atividades em sala de aula e práticas de campo, inviabilizando a elaboração dos trabalhos e consulta em livros. O objetivo do projeto foi proporcionar a abertura do ambiente da biblioteca ampliando o horário pós práticas curriculares. Para isso, foram propostos monitores que controlassem através do preenchimento de uma ficha a entrada dos interessados ao espaço físico da biblioteca. Essa monitoria foi uma iniciativa dos alunos em participar da ação. Com a abertura da biblioteca após as atividades curriculares, conforme controle de acesso foram 290 alunos, incluindo o primeiro bimestre e a metade do segundo bimestre, possibilitando a abertura de três vezes durante a semana, sendo que os horários correspondem entre 19:00 às 21:00. Foi realizado uma enquete, onde a maioria dos alunos, correspondendo em 35% utilizaram o espaço para leitura em livros, 32% dos alunos para a elaboração dos trabalhos, 22% dos alunos a utilização para leitura em assuntos diversos e 10% dos alunos realizaram estudos no próprio caderno. Diante desses dados, observaram que os alunos desenvolveram estimulo a leitura, o que criou um fluxo de livros na biblioteca, fato esse gerado que antes da implantação do projeto os alunos não tinham esses momentos para leituras. A intervenção de horários compatíveis com a procura dos alunos possibilitou um ambiente para estudo e pesquisas, durante o horário noturno. Percebeu-se que o senso de compromisso e organização foram criados pelos alunos que participaram da monitoria, assumindo a responsabilidade e um comprometimento com suas tarefas de utilizar o espaço da biblioteca. Em sala de aula os alunos mostraram um comportamento mais crítico, com maior responsabilidade as tarefas e trabalhos, de maneira que o desempenho melhorou em sala de aula. Antes da abertura, havia uma baixa utilização devido a incompatibilidade dos horários, motivo que levava os alunos a ter pouco incentivo, sendo que a busca pelo ambiente não existia demanda. Uma escola sem biblioteca é um instrumento imperfeito. A biblioteca sem ensino, ou seja, sem a tentativa de estimular, coordenar e organizar a leitura, será, por seu lado instrumento vago e incerto. Diante desse fato, entende-se que o ensino necessita de pessoas que estejam envolvidas, e a escola precisa redimensionar o seu pensar e conduzir de forma conjunta as ações que envolvam toda a comunidade escolar.

Palavras-chave


Biblioteca; Conhecimento; Estimulo; Leitura.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC