PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PARA SUPERMERCADO NO MUNÍCIPIO DE ENTRE RIOS DO SUL – RS

Caroline Wendling

Resumo


O aumento da procura no que diz respeito aos produtos disponíveis no mercado está relacionado ao desenvolvimento econômico, acarretando uma maior exploração dos recursos naturais e, consequentemente, maior geração de resíduos sólidos que, atualmente, caracteriza uma grande problemática ambiental. Nesse contexto, a Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS, Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010, instituiu um novo marco regulatório para a gestão dos resíduos no país, reunindo um conjunto de princípios, objetivos, instrumentos e diretrizes com vistas à gestão integrada e ao gerenciamento ambientalmente adequado dos resíduos sólidos. O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos é o instrumento que define o conjunto de informações e estratégias agregadas de gestão, indicado a situar nas normas, os procedimentos operacionais de gerenciamento de resíduos sólidos, observando os aspectos quanto à geração, segregação, acondicionamento, identificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e disposição final, estando assim, conforme a legislação sanitária e ambiental e contribuindo para um maior controle da destinação dos resíduos pelo poder público. Sendo assim, o trabalho objetivou-se em realizar a elaboração de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), para um supermercado no município de Entre Rios do Sul – RS visando atender as legislações pertinentes. Para tanto, teve-se por base a realização de um diagnóstico da geração de resíduos na empresa. Dentre os resíduos identificados, pode-se citar papelão, plástico e demais resíduos orgânicos provenientes da produção de alimentos e corte de carnes, apresentando assim, a maior média de produção mensal, o papelão com cerca de 500kg/mês. Após a caracterização dos resíduos gerados, foram identificados e caracterizados os seguintes princípios básicos a serem considerados na elaboração do PGRS da empresa: acondicionamento, coleta e transporte interno, estocagem temporária, coleta e transporte externo, e educação ambiental. Após a caracterização de todos estes princípios, foi constatado que a empresa em questão, mantem uma postura correta e procede de forma responsável na maioria dos elementos abordados, sendo necessária apenas propor algumas medidas e recomendações, para que o manuseio dos resíduos no estabelecimento seja padronizado e ocorra de forma segura como: a utilização de sacolas retornáveis (ecobags); a diminuição dos desperdícios; a reutilização dos resíduos orgânicos para compostagem em escolas ou entidades; a criação de pontos de coleta para os resíduos perigosos (lâmpadas, etc.), juntamente com a administração pública municipal. Paralelamente ao aumento da eficiência dos processos relativos ao gerenciamento dos resíduos sólidos, melhora-se a qualidade de vida dos trabalhadores envolvidos com o manuseio destes materiais. Em vista disso, a elaboração do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos para empresas de pequeno porte como a analisada é de fundamental importância para o atendimento das exigências legislativas e preservação dos recursos ambientais.

Palavras-chave


Gerenciamento; redução; segregação; armazenamento; disposição.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC