DETERMINAÇÃO DA PORCENTAGEM IDEAL DE CINZAS DE BIOMASSA FLORESTAL PARA A FABRICAÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS

Augusto Gercy Oliveira Costa

Resumo


Diferente das décadas passadas, onde desenvolvimento e industrialização ocorriam em detrimento à preservação ambiental e o único foco mantido era a lucratividade, a realidade atual já apresenta algumas mudanças, as quais tornam os empresários e suas companhias responsáveis por suas ações perante o meio externo à planta da empresa. A sociedade e o governo exigem, cada vez mais, que ações de preservação ou recuperação sejam tomadas, tornando as externalidades (o que acontece fora da empresa) parte das internalidades (o que acontece dentro da empresa). Novas políticas vêm sendo adotadas e idéias, antes imaginadas e julgadas como impossíveis, mostram-se dignas de serem chamadas de soluções. É de conhecimento de todos, que os processos industriais de maneira generalizada, necessitam de matérias-primas para transformação e geram resíduos juntamente com produtos ao final do processo. Sabe-se também, que as mais variadas formas de geração de energia impactam o meio ambiente de alguma maneira. Dentre todas as formas de geração de energia existentes, uma delas é baseada na queima de biomassa e, como todas as outras, possui alguns impactos negativos ao meio ambiente, que são inevitáveis. A geração de energia a partir de biomassa, popularizou-se em função do apelo ambiental envolvido em sua utilização. É evidente que a utilização da biomassa como combustível é muito menos prejudicial que a queima de combustíveis fósseis e seus derivados. Mesmo reduzindo imensamente as quantidades de poluentes lançados na atmosfera, os números que representam essas quantidades estão muito distantes do zero, o que, certamente, seria o ideal, porém, impossível. Além da poluição gerada em forma de gases, a queima da biomassa possui um grande potencial poluente relacionado à geração de resíduos sólidos, as chamadas cinzas não participam das reações de combustão e se acumulam em grandes quantidades nas usinas de biomassa com fins de geração de vapor e energia elétrica. Uma solução encontrada recentemente para destinar as cinzas para outros locais, e desta vez, não em forma de poluente, mas sim de matéria-prima, foi a utilização da mesma como componente na fabricação de tijolos. Os tijolos que utilizam cinzas de biomassa florestal em sua composição são chamados de tijolos ecológicos e possuem inúmeras vantagens em sua utilização. São mais baratos que os tijolos comuns, utilizam resíduos de outros processos em sua composição e seu processo de fabricação não envolve a queima de combustíveis, diferente dos tijolos comuns. A popularização da utilização da biomassa como combustível para geração de vapor e energia cresce a cada dia e com isso, os resíduos gerados pela queima da mesma, crescem de forma diretamente proporcional. O acúmulo de cinzas, riquíssimas em matéria orgânica é causador de grandes impactos nas áreas onde são estocadas. A fabricação de tijolos ecológicos mostrou-se como uma das opções existentes como forma de destino para esse poluente em potencial. Pelo fato de ser oriundo de pesquisas muito recentes, os tijolos ecológicos podem ser aprimorados de algumas maneiras e, até então, aparentemente não existem estudos detalhados que demonstrem qual seria a mistura ideal para sua fabricação. Entende-se por mistura ideal, aquela que representa maior segurança em uma estrutura. O objetivo geral desta pesquisa foi determinar a quantidade ideal de resíduos sólidos de biomassa florestal (cinzas) utilizados no processo de fabricação de tijolos ecológicos.

Palavras-chave


Tijolos ecológicos; resíduos; biomassa; preservação



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC