Composição química do mosto de Sauvignon Blanc em função da época do manejo da desfolha

Marcus Vinícius Pereira Outemane, Douglas Wurz, Betina Pereira de Bem, Ricardo Allebrandt, Adrielen Tamiris Canossa, Juliana Reinehr, Alberto Fontanella Brighenti, Bruno Bonin, Aike Anneliese Kretzschmar

Resumo


A videira caracteriza-se como uma espécie exigente em tratos culturais e para se alcançar condições ótimas no momento da colheita é fundamental que as técnicas de manejo sejam adequadas as características de cada região. Entre as diversas técnicas de manejo, a desfolha da videira tem como objetivo otimizar a interceptação da luz solar, a capacidade fotossintética da planta, e o microclima dos cachos para melhorar a produção e a qualidade dos vinhos. Nesse contexto, este trabalho teve como objetivo verificar a influência da época do manejo da desfolha na composição química do mosto de Sauvignon Blanc. Os tratamentos consistiram na realização da desfolha, expondo a região dos cachos em cinco diferentes estágios fenológicos: plena florada, grão chumbinho, grão ervilha, virada de cor, 15 dias após a virada de cor e plantas sem desfolha (testemunha). O presente estudo foi realizado em um vinhedo comercial, localizado em São Joaquim – Santa Catarina, durante a safra 2014/2015. No momento da colheita, foram colhidos 60 kg de uva de cada tratamento, sendo estes encaminhados para o Laboratório de Enologia da Universidade do Estado de Santa Catarina para elaboração de vinho. O mosto da uva foi obtido através do processo de prensagem das uvas, sendo este mosto posteriormente vinificado. Foram avaliadas: sólidos solúveis (Brix), açúcar (Babo), densidade, acidez total titulável e pH. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso e as variáveis foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e quando detectadas efeitos de tratamento, procedeu-se o teste de comparação de médias pelo Teste Scott Knott a 5% de probabilidade de erro. A densidade do mosto variou de 1070 a 1075, não diferindo estatisticamente entre as épocas de desfolha. As variáveis sólidos solúveis (Brix) e açúcares (Babo) não apresentaram diferenças estatisticamente significativas entre as épocas de desfolha. No entanto, observou-se influência da época de desfolha na acidez total titulável, sendo que o mosto proveniente de uvas não submetidas ao manejo da desfolha apresentaram o maior valor de acidez total titulável, enquanto o manejo da desfolha realizado na plena florada ou grão chumbinho apresentaram a menor acidez total titulável. Não observou-se influências das épocas de desfolha na variável pH. O manejo da desfolha influenciou apenas a variável acidez total titulável, resultado em menores valores desta variável.

Palavras-chave


Vitis vinifera L.; acidez total; maturação tecnológicas; vinhos de altitude.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC