Avaliação de variedades de Kiwi para cultivo na região de Lages - SC

Marcus Vinícius Pereira Outemane, Douglas Wurz, Betina Pereira de Bem, Ricardo Allebrandt, Adrielen Tamiris Canossa, Juliana Reinehr, Bruno Bonin, Lucas Comachio, Aike Anneliese Kretzschmar

Resumo


A região de Lages/SC possui grande potencial para o cultivo de espécies frutíferas de clima temperado, que poderiam atender um mercado interno que demanda um produto de alta qualidade. Surge assim, a oportunidade da introdução de novas espécies frutíferas na região, a fim de diversificar o setor agropecuário, e assim aumentar a participação desse setor na formação do PIB da região de Lages, como o cultivo do kiwi. Nesse contexto, tem-se como objetivo deste trabalho avaliar o potencial de cultivo de três variedades de Kiwi na região de Lages – Santa Catarina. O presente trabalho foi realizado no pomar experimental do Centro Ciências Agroveterinárias da Universidade do Estado de Santa Catarina, localizado no município de Lages – Santa Catarina, sob as coordenadas 27º 48' 58" S e 50º 19' 34" W, 884m de altitude acima do nível do mar. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com três blocos, sendo cada bloco composto por uma planta de cada uma das três variedades de Kiwi avaliada durante a safra 2016/2017: Bruno, Monty e Tomuri. Para efetuar a avaliação da fenologia foram demarcados ao acaso dez ramos por plantas, sendo estes avaliados a cada dois dias, para determinar os seguintes estádios fenológicos: brotação, plena florada e colheita. No momento da colheita, realizada no dia 15 de maio de 2017, foram coletados 50 frutos de cada repetição para as avaliações físicas e químicas dos frutos. Foram avaliados: massa de fruto (gramas), comprimento de fruto (cm), diâmetro de fruto (cm), sólidos solúveis (Brix), acidez total titulável (meq/L) e Ratio (Sólidos Solúveis/Acidez Total Titulável). Foram observados para a escala fenológica as datas para brotação, florada e colheita para a variedade bruno: 07/09; 27/10; 15/05. Monty: 12/09; 28/10; 15/05. Tomuri: 10/09; 28/10; 15/05. Quanto as análises físicas do fruto, foram analisadas massa de fruto, comprimento de fruto e diâmetro de fruto. Bruno: 64,15; 71,12; 38,81. Monty: 64,52; 61,59; 42,64. Tomuri: 68,90; 63,54; 43,71. Quanto a analise tecnológica foram avaliados Sólidos Solúveis (ºBrix), Acidez Total titulável (meq L-1) e Ratio (SS/ATT). Bruno: 10,05; 14,65; 0,68. Monty: 9,56; 13,40; 0,70. Tomuri: 8,76, 12,23; 0,71. O comportamento fenológico das três variedades avaliadas de Kiwi demonstram que a região de Lages/SC possui potencial para a produção da cultura do Kiwi. Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre as três variedades estudadas para as características físicas e químicas dos frutos, estando estas de acordo com literatura já existente para a cultura do Kiwi no Brasil. Portanto, conclui-se que o cultivo do Kiwi possui potencial para se desenvolver na região de Lages/SC.

Palavras-chave


desenvolvimento regional; agricultura familiar; diversificação; fruticultura



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC