Ambientalização curricular: as percepções dos coordenadores dos cursos de licenciatura em Matemática de SC

Schayla Letyelle Costa Pissetti, Lucia Ceccato de Lima

Resumo


Neste trabalho serão apresentados dados e discussões prévias, oriundos de uma dissertação em fase de finalização, cuja temática está centrada na busca de indícios de ambientalização curricular nos cursos de licenciatura em Matemática, ofertados por universidades públicas e comunitárias de SC. Diversos estudos sobre o processo de ambientalização curricular estão sendo realizadas em Universidades engajadas com a sustentabilidade e a reflexão sobre a realidade ambiental do século XXI. A ambientalização curricular pode ser entendida como um processo de inovação capaz de realizar mudanças no currículo por meio de práticas e conteúdos socioambientais (KITZMANN; ASMUS, 2012). Também utilizamos a Base Nacional Curricular Comum (BNCC) como referência, visto que evidencia a importância da matemática e sua aproximação com o contexto já em seu documento introdutório, no sentido de possibilitar que o ser humano encontre respostas de problemas que a sociedade apresenta em suas práticas cotidianas. Nessa perspectiva, a construção de uma racionalidade socioambiental é uma ferramenta capaz de possibilitar que cada ser exerça seu papel de cidadão, efetivo na construção de um corpo social digno. É importante salientar ainda que essa temática faz parte da educação integral do ser humano, como Morin (2005) argumenta em sua teoria da complexidade, é preciso romper com a fragmentação do conhecimento em campos restritos e quebrar paradigmas para que tenhamos verdadeiramente uma educação de qualidade. Esta pesquisa inclui a análise de documentos mais um questionário aplicado aos coordenadores. Para esta apresentação, escolhemos focar nas respostas obtidas na aplicação dos questionários, que foram coletadas virtualmente entre os meses de janeiro e setembro de 2017. Dez coordenadores participaram dessa pesquisa, e apesar de que 90% deles responderam achar a educação ambiental importante ou muito importante nos cursos de licenciatura em Matemática, apenas 40% deles acreditam que os assuntos ligados ao meio ambiente deveriam ser abordados em todas as disciplinas do curso de matemática, ideia que vai ao encontro da proposta da ambientalização curricular. Ao serem questionados sobre a participação do curso de matemática em projetos que visam a sustentabilidade, 50% dos entrevistados responderam que o curso que coordenam já realizou ou participou de algum tipo de projeto ou prática sustentável ou que vise à sustentabilidade. 40% respondeu que não houve participação do curso nesse tipo de ação e 10% alega não ter conhecimento a respeito. O resultado da análise das respostas obtidas nos fez concluir que muitas discussões sobre os currículos e práticas ofertados aos cursos de licenciatura deverão vir, pois é preciso investir na perspectiva de levar a Educação Ambiental para os cursos de graduação. As questões ambientais não se limitam ao tema específico, mas englobam também as questões éticas, estéticas, de cidadania e responsabilidade. Guerra, Figueiredo e Schmidt (2012), dialogam sobre a necessidade e a importância deste tipo de abordagem, bem como suas projeções: É preciso avançar em busca da superação do obstáculo da fragmentação. Para tanto se torna necessário investir na formação das pessoas que integram nossas universidades.

Palavras-chave


Ambientalização curricular; formação de professores de matemática; ensino superior.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC