Análise urbana do bairro COHAB em Bom Jardim da Serra/SC

Fernando Calvetti, Patrícia Machado

Resumo


O presente texto apresenta parte do trabalho de conclusão de curso de arquitetura e urbanismo. O trabalho está em aberto e tem previsão de conclusão para dezembro de 2017. O projeto parte de uma análise urbana da situação habitacional da população do bairro no bairro COHAB (Conjunto Habitacional Derly Borges de Carvalho), que está localizado no acesso do centro urbano de Bom Jardim da Serra, Santa Catarina. O que se discute de forma breve aqui são os principais problemas detectados na região e que são justificativas para o projeto. A partir do Estatuto das Cidades (2001) torna-se obrigatório a elaboração de Plano Diretor para municípios que se encaixem em uma série de pré-requisitos, dentre os quais serem integrante de Região Metropolitana ou integrante de área de especial interesse turístico, nas quais Bom Jardim da Serra se enquadra. Mesmo dezesseis anos após a publicação do estatuto a cidade ainda não conta com perspectiva de elaboração do seu primeiro plano diretor. Reconhece-se que a cidade se expande de forma desordenada, e o bairro analisado, historicamente, não recebe investimentos em nível de desenho ou planejamento urbano e sofre uma contínua desvalorização do valor de solo. Configura-se na área mais segregada da cidade, onde a população socioeconomicamente mais vulnerável vive. Dentre os problemas sociais urbanos do Bairro COHAB merece destaque a falta de planejamento público que vise à promoção de políticas de controle ao crescimento. Algumas das unidades residenciais do bairro encontram-se em Áreas de Preservação Permanente (APP). É comum encontrar construções com problemas estruturais ou de infiltração, denunciando a problemática também em escala arquitetônica. Nesse caso específico, as áreas de moradia e infraestrutura são inadequadas, seja pela localização em Áreas de Preservação Permanente, seja pelas próprias condições da construção, entendendo que as residências precisariam ser remanejadas ou reconstruídas. O espaço revela em suas paisagens os problemas que surgem muitas vezes como consequência de tentativas da população em ocupar espaços. A ausência de mobilidade urbana, a dificuldade de locomoção entre os diferentes espaços de uma mesma região também são consequência da falta de planejamento. A carência em infraestrutura urbana reflete-se na organização espacial e na qualidade de vida dos usuários que é carente em relação ao restante da cidade. Configura-se assim como um tema pertinente para os órgãos públicos municipais e também como discussão dentro da academia no que diz respeito à importância do planejamento urbano tanto para a cidade como um todo quanto para o indivíduo enquanto morador e usuário do espaço.

O presente texto apresenta parte do trabalho de conclusão de curso de arquitetura e urbanismo. O trabalho está em aberto e tem previsão de conclusão para dezembro de 2017. O projeto parte de uma análise urbana da situação habitacional da população do bairro no bairro COHAB (Conjunto Habitacional Derly Borges de Carvalho), que está localizado no acesso do centro urbano de Bom Jardim da Serra, Santa Catarina. O que se discute de forma breve aqui são os principais problemas detectados na região e que são justificativas para o projeto. A partir do Estatuto das Cidades (2001) torna-se obrigatório a elaboração de Plano Diretor para municípios que se encaixem em uma série de pré-requisitos, dentre os quais serem integrante de Região Metropolitana ou integrante de área de especial interesse turístico, nas quais Bom Jardim da Serra se enquadra. Mesmo dezesseis anos após a publicação do estatuto a cidade ainda não conta com perspectiva de elaboração do seu primeiro plano diretor. Reconhece-se que a cidade se expande de forma desordenada, e o bairro analisado, historicamente, não recebe investimentos em nível de desenho ou planejamento urbano e sofre uma contínua desvalorização do valor de solo. Configura-se na área mais segregada da cidade, onde a população socioeconomicamente mais vulnerável vive. Dentre os problemas sociais urbanos do Bairro COHAB merece destaque a falta de planejamento público que vise à promoção de políticas de controle ao crescimento. Algumas das unidades residenciais do bairro encontram-se em Áreas de Preservação Permanente (APP). É comum encontrar construções com problemas estruturais ou de infiltração, denunciando a problemática também em escala arquitetônica. Nesse caso específico, as áreas de moradia e infraestrutura são inadequadas, seja pela localização em Áreas de Preservação Permanente, seja pelas próprias condições da construção, entendendo que as residências precisariam ser remanejadas ou reconstruídas. O espaço revela em suas paisagens os problemas que surgem muitas vezes como consequência de tentativas da população em ocupar espaços. A ausência de mobilidade urbana, a dificuldade de locomoção entre os diferentes espaços de uma mesma região também são consequência da falta de planejamento. A carência em infraestrutura urbana reflete-se na organização espacial e na qualidade de vida dos usuários que é carente em relação ao restante da cidade. Configura-se assim como um tema pertinente para os órgãos públicos municipais e também como discussão dentro da academia no que diz respeito à importância do planejamento urbano tanto para a cidade como um todo quanto para o indivíduo enquanto morador e usuário do espaço.

Palavras-chave


Urbanismo; Intervenção; Conjunto Habitacional



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC