MONITORAMENTO DA QUALIDADE DA AGUA NO PLANALTO SUL DE SC, ATRAVÉS DA COMUNIDADE DE MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS

Josiane Teresinha Cardoso, Humbelina Silva Siqueira Lopes, Eduardo Amaral Stradioto Neto, Natan Liz de Nale Zambelli, Thayna Suane Pollheim, Suziana Manrich, Bianca Schneider Padilha, Alaide Cristina de Bem Matos

Resumo


Introdução: Os ecossistemas lóticos caracterizam-se por apresentar uma grande variabilidade e complexidade de fatores bióticos e abióticos. As características particulares de cada corpo hídrico são dadas pelo conjunto dos fatores físico-químicos e biológicos bem como ao clima da região. Para a resolução dos problemas ambientais, é necessário que se desenvolva métodos confiáveis na avaliação ambiental, de forma a se encontrar formas rápidas e seguras para se diagnosticar a qualidade dos corpos hídricos. O monitoramento utilizando indicadores biológicos mostra-se bastante eficiente, uma vez que é capaz de mostrar o real impacto que a biota está sofrendo sob a ação de diferentes xenobióticos, em condições de exposições pontuais ou crônicas Como bioindicadores da qualidade da água pode-se utilizar algas, macrófitas aquáticas, micro e macronivertebrados e vertebrados. Os macroinvertebrados bentônicos são um grupo de organismos intensamente utilizados dentro do monitoramento, uma vez que apresentam, dependendo do grupo taxonômico, tolerância variada aos diferentes tipos de contaminação. Como a qualidade da água está ligada diretamente com a população que dela usufrui, tem-se a necessidade de monitorar a mesma. Metodologia: O estudo foi feito em dois locais diferentes, a Fazenda Santo Antônio, área pertencente à RPPN Complexo Serra da Farofa em Painel, SC, de propriedade da Empresa de Papel e Celulose Klabin S.A., onde estão presentes quatro das cinco nascentes que formam o Rio Caveiras e nas cidades de Painel e Lages, SC, onde é utilizado como fonte de água para abastecimento e como receptor do esgoto não tratado da cidade. A avaliação das águas do Rio Caveiras foram feitas em seis pontos: 3 presentes dentro da RPPN Complexo Serra da Farofa (pontos A, B e C) no município de Painel, SC, e que corresponde às suas nascentes; duas a montante de Lages e outra a jusante da cidade (Pontos D, E e F). Em cada local foi realizado uma coleta, durante o verão de 2015. Utilizou-se um amostrador do tipo Surber com 3 amostras coletadas/ponto. Após a coleta o material foi encaminhado para o Laboratório de Toxicologia do Departamento de Engenharia Ambiental da UDESC, Lages, SC, onde se fez a triagem e a fixação dos organismos em álcool 70%. Em seguida, os espécimes foram identificados até o nível taxonômico de Família, quando possível, utilizando-se chaves de identificação. Os organismos tabulados foram analisados quanto à riqueza e a qualidade da água nos seis pontos foi avaliada segundo o índice HFBI (Hilsenhoff Family Biotic Index), o qual pontua os organismos baseado no sistema saprobiótico do meio. Resultados e Discussão: Na coleta realizada, obteve-se um total de 2304 exemplares, com 27 familias identificadas dentro das Classes Crustacea, Mollusca e Insecta. Um táxom foi identificado no nível de Filo: Nematomorpha e quatro apenas no nível de Classe: Hirudinea, Oligochaeta, Bivalvia e Acari. Nas áreas de nascentes (Pontos A, B e C) coletou-se um total de 18 táxons (1867 indivíduos), sendo os mais abundantes: Hidrobiidae, Helichopsychidae, Aeglidae e Psephenidae, correspondendo a 93% do total coletado nos três locais. Nas áreas a montante da cidade de Lages (Pontos D e E), coletou-se um total de 21 táxons (399 indivíduos) tendo sido os mais abundantes: Chironomidae, Hydrobiidae, Helichopsychidae e Psephenidae, correspondendo a 81% do total. No ponto F, a jusante de Lages, foram coletados apenas um táxon (38 indivíduos), da Família Chironomidae, que é indicadoras de alto teor de poluição orgânica.

O índice de Hilsenhoff mostrou as seguintes condições de qualidade da água para as áreas avaliadas: nos pontos presentes nas nascentes, A, B e C; a qualidade das águas se enquadrou, respectivamente, com qualidade excelente (3,2, 2,9 e 1,9 pontos) com grau de poluição orgânica ausente. Esse resultado se deve ao fato desses pontos estarem em locais quase sempre fechados por vegetação natural e ausente de qualquer interferência antrópica. Os pontos D e E, presentes entre as nascentes e a cidade de Lages, apresentaram qualidade de água Moderada (4,5 e 4,7 pontos, respectivamente), com poluição orgânica moderada. Esses pontos estão em área rurais, onde grande parte da mata ciliar já foi suprimida, há a ocorrência, ainda, de residências, acesso de animais de criação ao rio e áreas de plantio próximas. A área F, presente após a cidade de Lages, apresentou qualidade da água pobre (8,0 pontos), com poluição orgânica muito significativa. O rio Caveiras, ao passar pela área urbana do município, recebe uma grande descarga de esgoto não tratado, os quais são trazidos, principalmente, pelos afluentes que cortam o interior da cidade, ocasionando um decréscimo considerável em sua qualidade. Conclusão:Os macroinvertebrados bentônicos identificados na RPPN Complexo Serra da Farofa indicam a boa qualidade das nascentes do Rio Caveiras, podendo, inclusive, serem utilizadas como banco de dados de Famílias da região. As áreas fora da RPPN evidenciam os efeitos que as atividades humanas tem sobre o rio, o qual sofre um descréscimo de qualidade visível conforme se afasta das nascentes, principalmante ao passar pela zona urbana de Lages, a qual, devido a falta de um sistema eficiente de coleta e tratamento de esgoto, promove a descaracterização de sua principal fonte de abastecimento.

Referência Bibliogáfica:BUSS, D. F., BAPTISTA, D. F., NESSIMIAN, J. L. Bases conceituais para a aplicação de biomonitoramento em programas de avaliação da qualidade da água de rios. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 19, v. 2, p. 465- 473, 2003.GONÇALVES, F. B.; 2007. Análise comparativa de índices bióticos de avaliação de qualidade de água, utilizando macroinvertebrados, em um rio litorâneo do estado do Paraná. 43 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação) - Setor de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.GOULART, M. & CALLISTO, M., Bioindicadores de qualidade de água como ferramenta em estudo de impacto ambiental. Fapam em Revista 2: p. 153–164, 2003.KONIG S., ET AL. Determination of content and fatty acid composition of unlabeled phosphoinositide species by thin-layer chromatography and gas chromatography. Anal Biochem 378(2): p. 197-201, 2008.LOYOLA, R. G. N. & BRUNKOW, R. F.; 1998 Monitoramento da qualidade das águas de efluentes da margem esquerda do reservatório de Itaipu, Paraná, Brasil, através da análise combinada de variáveis físico-quimicas, bacteriológicas e de macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores. Relatório Técnico Não Publicado, 39 p.

Palavras-chave


Macroinvertebrados, monitoramento, tolerância.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC