O TRABALHO COM A ORALIDADE E A ESCRITA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Juliano Padilha, Carlos Eduardo Canani, Giovana de Cássia Cardoso da Silva Carneiro, Sandra Nara Costa

Resumo


A ideia desse projeto nasceu tendo em vista a grande dificuldade de muitos alunos em comunicarem-se e falarem em público, seja na apresentação de um simples trabalho em sala de aula ou em atividades cotidianas. Especificamente na disciplina de língua portuguesa nas turmas dos anos finais do ensino fundamental – nas quais precisam ser trabalhados os quatro eixos de aprendizagem: leitura, escrita, oralidade e conhecimentos linguísticos – torna-se fundamental encontrar metodologias que estimulem a comunicação e a expressão dos estudantes. Diante dessa realidade é que se propôs este projeto, fundamentado no conceito dos Multiletramentos, amplamente difundido por Rojo (2013), com o objetivo de trabalhar gêneros como o poema, a Literatura de Cordel, os Best-Sellers e os Clássicos ao longo das aulas de Língua Portuguesa de uma escola participante do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID. Tratam-se de opostos que se cruzam e contribuem um com o outro, tanto na escrita quanto na oralidade. Contemplada sob esta ótica a literatura pode ser concebida como ferramenta de caráter informativo e formativo, uma vez que permite a todos quantos dela se utilizarem, discutirem sobre os mais variados assuntos, apropriando-se de um olhar que os possibilite uma compreensão maior do universo que os envolve, embasado na cientificidade e, que os fará pensar criticamente sobre diversas questões, podendo melhorar sua comunicação e suas relações sociais, sua visão de mundo, em razão de um ato que embora nem sempre tenha sido assim entendido. Assim, tem-se que ela é muito mais do que uma decodificação de símbolos, representando uma janela para o aprimoramento da capacidade de interpretar e interagir no meio social. Além disso, o poema como subsídio para este trabalho apresenta ainda outras características favoráveis, como por exemplo, a possibilidade de ser trabalhado a partir de uma mescla entre o que poderíamos chamar de clássico e a realidade local, que tem fortes influências da cultura gaúcha que emprega dentre outros, o poema para expressar seus costumes e ideias. Sendo a escola um espaço de formação, ela tem a tarefa de propiciar à classe discente a autonomia como fruto de uma prática pedagógica emancipatória, onde os professores devem estimular o uso da literatura, o contato com os livros dos mais diversos temas, efetivando assim um trabalho que culminará não só na desejada capacidade de torná-los de fato leitores da realidade, mas lhes proporcionará também bases para um melhor desempenho da comunicação e expressão, quer seja de maneira escrita ou falada, sobre o contexto no qual se inserem. A elaboração deste projeto, de maneira geral apresenta-se como instrumento preliminar para a solidificação de bases para uma boa comunicação e compreensão, servindo de subsídio para a implementação de temas relacionados à leitura, à escola e à formação cidadã, isso tudo sob a lente teórica dos conceitos da multiculturalidade e da multimodalidade.

Palavras-chave


Leitura; Escrita; Língua Portuguesa; Multiletramentos.



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC