A PRÁTICA DO ACOLHIMENTO NOS SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL

Patricia Pereira da Silva

Resumo


O Sistema Único de Saúde (SUS) institui uma política pública de saúde com princípios que visam à integralidade do cuidado, o acesso universal, a equidade da oferta, e contempla ainda a incorporação de novas tecnologias, saberes e práticas. Apesar de inúmeros avanços e conquistas, o SUS ainda se encontra em processo de transformações e mudanças. A Política Nacional de Humanização (PNH) surge nesse contexto de necessidade de mudanças, lançada em 2003 com a finalidade de fortalecer os princípios do SUS, no cotidiano das práticas de atenção e gestão, qualificando os serviços e incentivando trocas solidárias entre gestores, trabalhadores e usuários. Neste sentido, a PNH busca ofertar vários dispositivos assistenciais, como possibilidade de atuação dos profissionais de saúde, tendo o acolhimento como uma das principais estratégias. Com base nisso, este estudo teve como objetivo verificar como é realizada a prática do acolhimento no cotidiano dos serviços de saúde mental. Trata-se de uma revisão sistemática da literatura realizada no mês de janeiro de 2016 em duas bases de dados eletrônicas: Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS). Para levantamento dos artigos, publicados entre 2002 e 2015, e foram utilizados os descritores “acolhimento” e “serviços de saúde mental” em português como termos de busca, associados pelo termo conector “AND”, configurando o seguinte caminho de pesquisa: ACOLHIMENTO [Todos os índices] and Serviços de saúde mental [Todos os índices]”; ACOLHIMENTO [Palavras] and serviços de saúde mental [Palavras]. Fez-se uso da análise temática, conforme Minayo (2007), no intuito de descobrir os núcleos do sentido que compunham o corpus da pesquisa, cuja presença ou frequência traziam significação para o objetivo do estudo. A partir da análise emergiram quatro categorias temáticas: processo de trabalho; tecnologias de cuidado; escuta qualificada, vínculo e corresponsabilização; acolhimento – sentidos e significados. Os resultados da pesquisa revelaram que, embora, o acolhimento seja um tema bastante explorado, a maioria dos estudos estão voltados para as práticas de acolhimentos realizadas no contexto de atenção básica. Identificou-se que, o acolhimento se apresentou como organizador do processo de trabalho dentro de alguns serviços, e elucidado como possibilidade/estratégia de mudança nos CAPS que apresentaram dificuldades em romper com os modelos hegemônicos ainda vigentes. Neste sentido, percebeu-se que, o acolhimento fomenta a realização de práticas mais humanizadas no cuidado em saúde, conforme preconiza a PNH, contudo, para que se efetive no cotidiano dos serviços os profissionais precisam estar disponíveis para atuar a partir desta lógica. Aponta-se que, a rede de saúde, precisar estar articulada, para que se evitem situações de desorganização nos processos de trabalho de alguns serviços, bem como a responsabilização da assistência aos cuidados que deve ocorrer em toda rede de saúde mental.

Palavras-chave


Acolhimento, Serviços de Saúde Mental, PNH



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC