A CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA, FAZENDO-SE USO DE REAÇÕES SOCIAIS, QUÍMICAS E BIOQUÍMICAS PROVENIENTES DO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Celso Vinicius Silva, Claudiane Barbosa Ribeiro, Liliane Zulianello Lacerda

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo investigar se a contextualização do ensino de química se demonstra eficaz dentre as três séries do ensino médio. Com base em observações empíricas, observa-se que a disciplina de química no currículo escolar é uma das que os educandos apresentam maior dificuldade de apreensão e aprendizagem do conteúdo, e um dos principais fatores deste déficit é a falta de metodologias contextualizadas durante o ensino de química, tendo o educador por vezes exercendo apenas o papel de transmissor de conhecimentos prontos, acabados e pré-determinados. Tais preposições foram levantadas a partir do período de estagio de um grupo de acadêmicos, onde surgiram as discussões e reflexões sobre a temática e posteriormente, a construção de materiais que dariam rumo a esta pesquisa. Foram discutidas e analisadas diversas linhas de contextualização e analisado diversos materiais instrucionais de modo a verificar quais são as concepções e métodos para despertar o senso crítico dos educandos. A temática “o consumo de bebidas alcoólicas pelos adolescentes”, foi adotada por tratar-se de uma realidade conhecida por grande parte de nossos educandos, podendo então ser trabalhada a partir de um contexto social durante o primeiro ano do ensino médio, industrial no segundo ano e bioquímico no terceiro ano. Do ponto de vista da metodologia esta pesquisa se caracteriza como um estudo de caso numa abordagem qualitativa e a investigação foi realizada por meio de atividades e questionários abertos, relatos de educandos bem como de educadores e análise documental que permitiu elencar diversos fatores a serem levados em conta para o conhecimento do educador, neste caso focando no tema norteado pelo consumo de bebidas alcoólicas. Os resultados mostraram uma considerável melhoria no ensino-aprendizagem quando usada a contextualização do ensino. Os educandos obtiveram um aproveitamento superior quanto à apreensão do conhecimento transmitido. A pesquisa mostra também uma ampliação das concepções dos educadores, que inicialmente caracterizavam o ensino de Química como simples exemplificação e descrição de fatos ou situações advindas do cotidiano. Passando a entender que contextualizar vem da abordagem de questões sociais, com vistas no desenvolvimento de atitudes e valores. Porém não se pode deixar de levar em conta que o nível pouco elaborado de metodologias contextualizadas, comumente justificado pelo elevado número de aulas ministradas por tais educadores e baixa carga horária em cada sala de aula, tornando difíceis as aulas dialogadas tão importantes durante o processo de contextualizar. Pode-se perceber também justificativas de cunho etimológico, que diz respeito à formação tradicional baseada apenas no conhecimento específico da química, e também de natureza prático-profissional, tratando-se da pratica e preparo pessoal.

Palavras-chave


Contextualização; Química; Educação; Aprendizado



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC