GÊNERO E DIVERSIDADE SEXUAL: HOMOFOBIA NO CONTEXTO ESCOLAR

Clecí Terezinha Lima de Lins, Mareli Eliane Graupe

Resumo


O presente trabalho é um recorte da dissertação de mestrado que está sendo realizada no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). Busca incentivar a comunidade escolar a refletir sobre homofobia e a promover ações a favor de uma cultura da inclusão da diversidade sexual e do combate à todas as formas de violências e sobretudo, contribuir na formação de professoras/es. O interesse por este tema surgiu de situações observadas durante o meu percurso enquanto professora de Letramento Digital nas Séries Iniciais e Finais do Ensino Fundamental em uma escola da Rede Municipal de Ensino situada na periferia do Município de Lages SC. Nesta escola observei cenas que revelam preconceito e discriminação, especialmente contra estudantes homossexuais. O objetivo geral consiste em analisar como a escola trabalha gênero e sexualidades na perspectiva do enfrentamento e superação de práticas homofóbicas. Os objetivos específicos são: conhecer as políticas públicas educacionais de diversidade sexual; compreender as principais concepções teóricas sobre gênero e sexualidades no campo educacional; identificar o papel da educação para o enfrentamento do sexismo e da homofobia no cotidiano escolar e analisar os dados colhidos no campo empírico, os quais foram pensados tendo em vista a questão da pesquisa. A coleta de dados foi desenvolvida pelo método estudo de caso. Realizou-se observações em sala de aula, no pátio da escola e entrevistas focalizada com roteiro semiestruturado com estudantes, equipe diretiva e professoras/es que atuam na turma do 8º ano. Acreditamos que a escola, justamente por acolher sujeitos diferentes, é referência para romper com a produção e reprodução de preconceitos e práticas discriminatórias, especialmente em relação aos/as estudantes homossexuais. Utilizamos a técnica de explicação para a análise de conteúdo qualitativo proposto por Philipp Mayring (2007). Distribuímos entre as/os participantes o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido – TCLE, conforme o modelo fornecido pelo Comitê de Ética em Pesquisa – CEP da UNIPLAC e respeitando as normas éticas em pesquisa com seres humanos da Resolução 466 de dezembro de 2012 do Conselho Nacional de Saúde- CNS. O projeto de pesquisa obteve aprovação em 27 de julho de 2015 com o CAAE 503424414.6.0000.5368. Os resultados preliminares apontam para a existência de práticas homofóbicas direcionada aos estudantes do sexo masculino, demonstrando a necessidade de ações mais específicas que visem combater todas as formas de discriminação, visto, que nesta turma, constatou-se que são inexistentes as ações educativas para o enfrentamento à homofobia. Por isso, acreditamos que se torna necessário oferecer aos estudantes, uma educação que possua como finalidade afrontar os pressupostos que aceitam a heterossexualidade como única forma possível de vivência da sexualidade. Constatamos, nesta pesquisa de campo, que a maioria das/os docentes divulga sentirem-se incapazes de trabalhar com as questões de sexualidade em sala de aula, portanto, consideramos importante que as/os professoras/es tenham acesso a cursos de formação continuada que proporcionem conhecimentos teóricos e metodológicos sobre gênero e diversidades para que os mesmos tenham condições de estimular o questionamento e a problematização dos processos que produzem a homofobia. Enfim, podemos dizer que os dados parciais apresentam indícios de práticas violentas contra estudantes que possuem uma identidade de gênero e orientação sexual diferente da heteronormatividade. Também, constatou-se que nessa turma não são desenvolvidas ações educativas para o enfrentamento da homofobia. O referencial teórico abarca autoras/es como Daniel Borrillo, Judith Butler, Guacira Lopes Louro, Rogério Diniz Junqueira e Richard Miskolci, entre outra/os.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BORRILLO, Daniel. A homofobia. In Tatiana Lionço. Homofobia & Educação: um desafio ao silencio/Tatiana Lionço; Debora Diniz (Org.). Brasília: Letras Livres: EdnB, 2009.

BUTLER, JUDITH. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 8 ª ed. 2015.

FERNANDES, Felipe Bruno Martins. A Agenda anti-homofobia na educação brasileira (2003- 2010) [tese] / Felipe Bruno Martins Fernandes; orientadora, Miriam Pillar Grossi. -Florianópolis, SC, 2011. 422 p.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa/Uwe Flick; tradução Joice Elias Costa. -3ª Ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 405 p.

GRAUPE, Mareli Eliane. Gênero e Magistério: Discursos e práticas sociais. Brasília: Usina de Letras, 2009.

GROSSI. Mirian Pillar. Masculinidades uma revisão teórica (publicado em 2004). In: Antropologia em primeira mão/Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – Universidade federal de Santa Catarina, nº 1 (1995). Florianópolis: UFSC.

JUNQUEIRA. RD. Homofobia: limites e possibilidades de um conceito em meio a disputas. Revista Bagoas - Estudos Gays: gênero e sexualidade. 2007, 1 (1), 145 – 166.

----------------------. Organizador. Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: MEC, UNESCO; 2009.

----------------------. Educação e homofobia: O reconhecimento da diversidade sexual para além do multiculturalismo liberal. In R. D. Junqueira (Ed.), Diversidade sexual na Educação: Problematizações sobre a homofobia nas escolas (pp. 367-444). Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2009.

----------------------. Currículo Heteronormativo e Cotidiano Escola Homofóbico. Espaço de Currículo, v. 2, pp. 208 – 230. Setembro de 2009 a Março de 2010.

----------------------. Heteronormatividade no currículo em ação. In: Igualdade de gênero: enfrentando o sexismo e a homofobia/ Organização: Lindamir Salete Casagrande, Nanci Stancki da Luz, Marília Gomes de Carvalho. 1ª ed. Curitiba: ed. UTFPR, 2011.

----------------------. Pedagogia do armário e currículo em ação: heteronormatividade, heterossexismo e homofobia no cotidiano escolar. MILSKOLCI, Richard (Org.). Discursos fora da Ordem: deslocamentos, reinvenções e direitos. São Paulo: Annablume, 2012. (Série Sexualidades e Direitos Humanos).

---------------------. Pedagogia do armário: a normatividade em ação. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 7, n. 13, p. 481-498, jul/dez. 2013. Disponível em: Acesso em: 25/06/2016.

LOURO. Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

------------------------------ Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999, p.21.

------------------------------. Pedagogias da sexualidade. LOURO, G. L. (org.), O Corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

------------------------------. Teoria Queer: Uma política pós-identitária para a educação. Estudos Feministas, ano 9, 2º semestre, 2001.

------------------------------ Pedagogias da sexualidade. In: ____. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2001, p. 9-34

------------------------------. Um corpo estranho – ensaios sobre a sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 96 p.

------------------------------. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-posições, vol. 19, nº 2. Campinas, mai/ago. 2008.

------------------------------. Heteronormatividade e homofobia. In: Junqueira, Rogério D. (Org.). Diversidade sexual na educação. Brasília: MEC, Unesco, 2009.

------------------------------. Sexualidades minoritárias e educação: novas políticas? In Políticas de enfrentamento ao heterossexismo: corpo e prazer/ organizador Fernando Pocahy. – Porto Alegre: NUANCES, 2010. 176 p.

Mayring, Philipp: Qualitative Inhaltsanalyse. In: Flick, U./ Kardoff, E.v. /Steinke, I. (Hrsg.): Qualitative Forschung. Ein Handbuch. Reinbeck: Rowohlt. S. 468-475, 2007

MISKOLCI, Richard. Um corpo estranho na sala de aula. In: Abramowicz, Anete e Silvério Valter. Afirmando diferenças. Campinas: Papirus, 2005.

---------------------------. A Teoria Queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologia, Porto Alegre, ano 11, nº21, jan/jun. 2009, p.150 -182.

-------------------------. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica Editora/UFPO, 2012. 80 p. (Série Cadernos da Diversidade, 6).

RIOS, Roger Raupp. O conceito de homofobia na perspectiva dos direitos humanos e no contexto dos estudos sobre preconceito e discriminação. In: Rompendo o silêncio: homofobia e heterossexismo na sociedade contemporânea/ Fernando Pocahy (organizador). – Porto Alegre: Nuances, 2007.

SCOTT, Joan Wallach. “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”. Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, nº 2, jul./dez. 1995, pp. 71-99.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos/Robert K. Yin; tradução Ana Thorell; revisão técnica Cláudio Damacena. – 4ª Ed.- Porto Alegre

Palavras-chave


Gênero, Sexualidade, Diversidade, Homofobia, Escola



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC