VIOLÊNCIA NO COTIDIANO ESCOLAR – BULLYING

Marcele Antunes de Oliveira, Gabriel Branco Souza, Cintia de Melo

Resumo


Considerando que atitudes violentas ao outrem acontecem com frequência no cotidiano escolar, percebe-se a necessidade de ações reflexivas junto à comunidade educacional a fim de promover novas possibilidades na atuação e compreensão sobre o tema. Diante disto questiona-se: Como os professores podem interagir por meio de ações com os alunos, de modo a possibilitar reflexões que ajudem na compreensãoda violência enquanto uma ação de desrespeito ao outro, com decorrência muitas vezes destrutivas e irreparáveis? A partir dessa problemática delimitou-se essa pesquisa que ora está sendo apresentada neste artigo, cujo tema é “A violência no cotidiano escolar – bullying”. Esta pesquisa tem como objetivos; investigar a ocorrência de bullying praticados por alunos de 6º ao 9º da rede estadual de ensino; Identificar as formas mais frequentes de Bullying, especificar os possíveis encaminhamentos que a escola pode realizar perante esses atos com vistas a evita-los.A metodologia dessa pesquisa quanto aos objetivos é de caráter exploratório, quanto ao procedimento da coleta de dados é bibliográfica e pesquisa de campo. Para a coleta dos dados foi utilizado questionário com perguntas abertas e fechadas, tendo como sujeitos da pesquisa aproximadamente 150 alunos do 6° ao 9° ano do Ensino Fundamental e 12 professores de uma Escola da Rede Pública Estadual de Lages/SC. Destaca-se que a formação inicial dos professores pesquisados era de diferentes áreas do conhecimento. Os resultados obtidos com os alunos e professores, pode-se a concluir que o bullying é um problema nas escolas e pode afetar o desenvolvimento do aluno. Pode-se chegar a conclusão de que os professores, os mediadores do conhecimento, também são vítimas de bullying no ambiente escolar. O locus da pesquisa é um dos ambientes formadores do sujeito e é dever do mesmo orientar os alunos, o corpo docente, todos que integram o ambiente escolar e a sociedade sobre o tema em questão. De forma que ao estudar a violência na escola é necessário situá-la dentro da sociedade capitalista, ou seja, acredita-se que os casos de bullying podem estar compreendidos a partir de um processo mais geral de crise da sociedade que tornou-se um subproduto negativo da globalização.

Palavras-chave


Bullying. violência, Escola, rofessores, alunos



REVISTA UNIPLAC
ISSN 2447-2107
EDITORA UNIPLAC | PORTAL DE REVISTAS UNIPLAC
e-mail: propepg@uniplaclages.edu.br | Fone: (49) 3251-1009
Copyright 2012. Editora UNIPLAC